Publicidade

cotidiano

Eleição de Doria muda articulações para presidência da Câmara

A vitória de João Doria (PSDB) para o governo do Estado animou os tucanos na Câmara de Vereadores Campinas

| ACidadeON Campinas -

Durante os mandatos de Jonas, além de Rafa, o Legislativo foi presidido por Campos Filho (DEM). (Foto: Divulgação/Câmara)

Mesmo com bancadas mais enxutas e tendo perdido muitas cadeiras na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados, a vitória de João Doria (PSDB) para o governo do Estado animou os tucanos na Câmara de Campinas. Pouco antes da eleição presidencial, eles sequer eram mencionados pelos colegas na Casa entre os favoritos para assumir o comando da Casa nos próximos dois anos. Aguardavam apreensivos o resultado das urnas. Agora, dois deles estão entre os três que, nos bastidores, atraem a atenção dos colegas: Marcos Bernardelli e Gilberto Vermelho.

A presença do partido no posto de comando da Casa não é confortável para muitos parlamentares. Isso porque como principal aliado do governo do prefeito Jonas Donizette (PSB), os tucanos estão presentes em diversas secretarias. Outro ponto de conflito é a eleição de 2020. Muitos não querem que o PSDB tenha ainda mais espaço porque acreditam numa eventual candidatura de Carlos Sampaio, deputado federal reeleito, o que prejudicaria os planos dos peesebistas.  
 
LEIA TAMBÉM 
Saúde alerta para vacina contra febre amarela antes de viajar
Rede estadual abre matrícula para cursos de idiomas gratuitos
Vendas na Black Friday devem crescer 9,2% na região
Campinas terá dia de Outono com sensação de frio e chuva   
Bandidos invadem casa de prefeito e roubam carros


Há ainda mais problemas. Se Bernardelli assumir a Presidência, outro parlamentar teria de desempenhar a função de líder de governo. Atualmente, o prefeito Jonas enfrenta muitas críticas na Casa, especialmente em relação à Saúde.

Após o período eleitoral, os parlamentares articulam o sucessor de Rafa Zimbaldi (PSB), relatam que o cenário ainda está muito "embolado" e evitam mencionar favoritos. Mas nos bastidores, um dos que também entra na lista dos vereadores com mais possibilidades é o Pastor Elias Azevedo (PSB), descrito como diplomático e com boas relações. Mas existem dúvidas sobre a atuação do parlamentar em momentos de conflito.

No PSB, os nomes até agora mencionados, além do Pastor Elias, foram os de José Carlos Silva e Vinícius Gratti. Luiz Carlos Rossini (PV) também foi cotado para assumir a vaga. Já no PSDB, um dos nomes anteriormente ventilados era o de Luiz Henrique Cirilo. Ele já tentou chegar ao posto, mas perdeu forças ao longo das disputas.

Vermelho contaria com a simpatia dos colegas e, após assumir o comando da Casa, dizem, tomou gosto pela cadeira e passou a articular sua candidatura. Ontem, durante a sessão da Câmara, o PSOL lançou Mariana Conti como candidata a presidenta da Casa Legislativa. O anúncio foi feito durante sua fala na tribuna. E ela enfatizou que seu programa é voltado para a população de Campinas, e não para os acordos internos com os vereadores.

Durante os mandatos de Jonas, além de Rafa, o Legislativo foi presidido por Campos Filho (DEM). A Câmara conta hoje com um orçamento de R$ 130 milhões.

Publicidade