Publicidade

cotidiano

Campinas tem o maior número de mortes no trânsito desde 2017

Segundo o órgão, a cidade registrou 136 óbitos entre janeiro e dezembro do ano passado

| ACidadeON Campinas -

Infosiga-SP divulgou dados sobre acidentes em 2020 em Campinas (Foto: Denny Cesare/Código19) 

O número de mortes por acidente de trânsito em Campinas em 2020 é o maior registrado desde 2017. As informações são do Infosiga-SP (Sistema de Informações de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo). 
 
LEIA MAIS 
Estado adia novo carregamento de vacinas à região

Carro pega fogo próximo a entrada de Barão Geraldo na D. Pedro  
É Verdade? Confira a explicação sobre o objetivo das vacinas

Segundo o órgão, a cidade registrou 136 óbitos entre janeiro e dezembro do ano passado. Até então, o maior número era de 2017, quando foram computadas 156 mortes.

Ainda segundo o Infosiga-SP, em 2019, 122 pessoas morreram por acidentes de trânsito, enquanto em 2018 este dado ficou em 128 ocorrências.

OS DADOS

As mortes de motociclistas e pedestres são os que lideram a lista, com 48 óbitos cada um. Na sequência estão as vítimas de automóveis, com 26 casos. Ciclistas foram vítimas oito vezes, caminhoneiros cinco e não informado tem apenas uma ocorrência.

Já na questão de gênero, o masculino foi vítima em 85,29% das ocorrências. As mulheres foram a óbito em 13,24% dos casos e 1,47% não foi informado.

As mortes ocorreram com mais incidência na faixa etária de 18 a 24 anos, com 21 casos. Na sequência vem pessoas de 35 a 39 anos, com 16 ocorrências.

PROPOSTAS

Procurada, a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) informou que as três ações da empresa são focadas em três pilares principais: Educação de Trânsito, Engenharia de Tráfego e Fiscalização. Tendo como diretriz a Prevenção, que envolve todos os atores do trânsito (pedestres, ciclistas, motociclistas, motoristas e motoristas profissionais).

"O ano de 2020 foi atípico, por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). As medidas de isolamento social, com restrição de circulação, para conter o avanço da pandemia, diminuíram a circulação de veículos nas vias. Mas, por outro lado, com as ruas mais vazias, foi verificado o desenvolvimento de maior velocidade praticada pelos motoristas. Com base nos dados de fiscalização eletrônica, a quantidade diária de veículos circulando acima de 70km/h aumentou 17,8% em 2020, em relação a 2019", disse parte da nota.

A Emdec também destacou que, através de seus estudos, que não englobam rodovias, comparando 2019 com 2020, ocorreu uma redução de 18,8% no registro total de acidentes de trânsito. Além disso, as mortes envolvendo motociclistas apresentaram queda de 28,1%.

"Infelizmente, a mortalidade envolvendo pedestres aumentou 69,2%. Isto fez com que o número de mortes no trânsito urbano de Campinas, comparando 2019 com 2020, aumentasse 8,6%, passando de 58 para 63 vítimas fatais. Ou seja, diminuíram os acidentes de trânsito, mas a fatalidade aumentou", finalizou.

Deste modo, a circulação envolvendo os pedestres, a parte mais frágil do trânsito, toma atenção especial. E análises de ações para promover uma circulação mais segura deste público é o foco da Emdec.

Mais notícias


Publicidade