Publicidade

cotidiano

Covid-19: médica da linha de frente é a 1ª a ser vacinada no Mário Gatti

Após a chegada de um novo lote da vacina na cidade, a Prefeitura começou a aplicar as doses nos profissionais de saúde da rede municipal

| ACidadeON Campinas -

Maelly Romi, médica do Mario Gatti, foi a primeira vacinada da rede pública de Campinas (Foto: Luciano Claudino/Código 19)
A Prefeitura de Campinas começou às 10h da manhã de hoje (21) a vacinação contra a covid-19 em profissionais da saúde municipal. A primeira a receber a dose da Coronavac foi a médica da linha de frente de enfrentamento ao vírus do Hospital Dr. Mário Gatti, Maelly Romy Ikuno, de 34 anos. A médica trabalha na unidade há 8 anos como clínica geral e chegou a se infectar com o coronavírus no ano passado. 

Ao todo, o início simbólico contou com a aplicação de doses em seis profissionais da Rede Mário Gatti, sendo três do Hospital Mário Gatti e três do Hospital Ouro Verde. Das outras cinco pessoas imunizadas, três são técnicos de enfermagem, e duas são enfermeiras. 

O início oficial da vacinação municipal aconteceu hoje após a cidade receber na noite de ontem um novo lote com 24,9 mil doses da vacina contra a covid-19. A cerimônia de imunização contou com a presença do prefeito Dário Saadi (Republicanos) e do secretário de Saúde de Campinas, Lair Zambon. A partir de amanhã está previsto o início da vacinação dos trabalhadores da saúde de hospitais particulares. 

Na última segunda-feira, também houve um ato simbólico de início da vacinação em profissionais da saúde no Hospital de Clinicas da Unicamp que contou com a presença do governador do Estado João Dória. Na ocasião foram entregues 4 mil doses que ficaram na unidade (leia mais aqui).   


VACINAÇÃO MUNICIPAL 

Segundo a Prefeitura, a intenção é aplicar imediatamente todas as 24,9 mil doses que chegaram na noite de ontem nos profissionais de hospitais públicos e particulares de Campinas. Ainda de acordo com a Administração, os imunizantes vão ser distribuídos para 18 hospitais públicos e privados e 67 centros de saúde. A campanha para os demais grupos ainda não tem data certa.

Na Rede Mario Gatti serão 4,1 mil vacinados, o restante das vacinas na rede municipal será aplicado nos profissionais do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e nas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) Carlos Lourenço, São José, Campo Grande e Anchieta.  

De acordo com a Saúde, 45% das doses serão destinadas para a rede pública e 55% para a rede privada. No Hospital Mário Gatti, o intuito é vacinar 750 profissionais por dia, já no Ouro Verde, 225 diariamente, e no Samu e nas UPAs 100 profissionais por dia.  

Os vacinados devem receber a segunda dose após 21 dias da primeira aplicação, e o secretário de Saúde garantiu a chegada de um novo lote em Campinas para completar a imunização. Segundo Dário, a aplicação de todas as doses segue orientação do Ministério da Saúde.  

"As doses são aplicadas todas como 1ª dose por orientação do Ministério da Saúde e da secretaria de Estado. Eram previstas 15 mil, essas 9 mil foram incluídas da mesma maneira de distribuição. Essas 24,9 mil serão distribuídas nas unidades que fazem atendimento de covid-19, e o agendamento fica para a segunda fase dos profissionais de saúde que nós calculamos em torno de 59 mil o total. Os outros profissionais farão o agendamento quando chegar", explicou.  

Segundo ele, o número de aplicação conta os profissionais da linha de frente, mas não só aqueles que trabalham na área médica. 

"A linha de frente inclui nesse primeiro momento mais de 20 mil profissionais. Não é só quem trabalha na UTI, é a equipe do hospital, pessoal que trabalha no suporte, limpeza, a linha de frente é feita pela equipe global da unidade" afirmou.    


 A CHEGADA DA VACINA

A chegada das vacinas contou com uma operação montada pela Policia Militar e pela Guarda Municipal, com escolta e vigilância dos pontos que receberam as vacinas e não tiveram os locais divulgados.

Além das doses para Campinas, chegaram na cidade ontem cerca de 2,4 mil doses à uma Central de Distribuição, com as doses ficando disponíveis aos municípios do DRS 7 (Departamento Regional de Saúde) com menos de 30 mil habitantes. Municípios como Holambra, Artur Nogueira e Serra Negra devem fazer a retirada das doses ainda hoje.

NO HC

O HC foi o responsável por dar a largada na vacinação e ter a primeira pessoa vacinada em Campinas. Na Unicamp, a vacinação começou no dia 18 em profissionais de saúde, e a técnica de enfermagem Liane Santana Mascarenhas Tinoco, de 48 anos, foi a primeira a receber a vacina.

Com prioridade no recebimento das doses, a Unicamp definiu uma lista de servidores, entre eles do HC, Caism (Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher) e Cecom (Centro de Saúde da Comunidade), sendo todos que fazem parte da linha de frente no combate à covid-19.

Já na segunda, o hospital recebeu 4 mil doses no estado. As doses serão suficientes para imunizar dois mil servidores, que receberão as duas doses da vacina.

COMO VAI FUNCIONAR A VACINAÇÃO?  

Essas primeiras doses que chegaram na cidade serão aplicadas prioritariamente nos profissionais de saúde da rede pública e privada. Quando a vacinação for normalizada em Campinas, o munícipe deverá realizar um agendamento do local e horário que pretende tomar a vacina. As opções são pela internet, pelo telefone 160 ou pelo centro de saúde de referência da região onde a pessoa mora.

Quem optar pela internet, deverá acessar o site da Prefeitura e clicar em um banner sobre a campanha de vacinação que estará disponível para o agendamento. O cadastro ainda não está sendo realizado porque depende da quantidade de doses que o município receberá do Estado.

Será necessário preencher um cadastro e as opções de horário serão disponibilizadas. A pessoa poderá escolher dia e horário. No fim do processo de agendamento será emitido um comprovante com todos os dados, que pode ser impresso ou armazenado no celular.

No dia da vacinação, as pessoas devem levar documento com foto.

QUEM VAI PODER SE VACINAR?

O público-alvo da primeira etapa inclui profissionais de saúde em geral, pessoas a partir de 60 anos de idade, indígenas e quilombolas. A primeira etapa será dividida da seguinte maneira:

1º - profissionais de saúde, indígenas e quilombolas (cerca de 63 mil pessoas);

2º - pessoas com 75 anos ou mais (40.383 pessoas);

3º - 70 a 74 anos (26.309 pessoas);

4º - 65 a 69 anos (33.507 pessoas);

5° - 60 a 64 anos (46.169 pessoas).

QUAIS SÃO OS LOCAIS?

Os Centros de Imunização escolhidos pela Administração também já foram definidos. Segundo a Prefeitura, são espaços grandes, com fácil acesso por ônibus e com estacionamento, o que possibilitará fazer vacinação no carro, se for necessário. Os locais foram divididos por regiões da cidade da seguinte forma:

- Casa da Criança Paralítica Rua Pedro Domingos Vitali, 160 - Parque Italia (região Sul);

- Naed Noroeste Avenida Ibirapuera, s/nº, Jardim Londres (região Noroeste);

- Centro de Vivência do Idoso Lagoa do Taquaral - portão 5 (região Leste);

- Círculo Militar Avenida Getúlio Vargas, 200. Jardim Chapadão (região Norte);

- CAIC Sudoeste Rua José Augusto de Mattos, s/nº, Vila União (região Sudoeste);

 


Mais notícias


Publicidade