Aguarde...

cotidiano

Número de punições para quem não usa máscara em Campinas tem queda

Apesar de piora nos índices da covid-19 e "relaxamento" da população para evitar a disseminação do vírus, total de notificações diminuiu nos últimos meses

| ACidadeON Campinas

Número de punições para quem não usa máscara têm queda (Foto: Código 19)
O número de punições para quem não usa máscara de proteção contra a covid-19 em Campinas, no valor de R$ 100, tem caído nos últimos meses, segundo levantamento da Prefeitura. Em janeiro, por exemplo, foram 23 multas expedidas. Até o dia 19 de fevereiro foram sete. 

Isso ocorre justamente em meio a um aumento de casos de coronavírus na cidade, a taxa de ocupação de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) ter chegado a 100% nesta semana e também a um "relaxamento" das medidas sanitárias pela população. 

Agora, tem se tornado mais comum pessoas andando sem máscaras na ruas da cidade. A equipe de reportagem da EPTV Campinas percorreu as principais vias de Campinas, inclusive as apontadas pela Prefeitura, e fez vários flagrantes de pessoas sem máscaras. 

Em tese, as multas municipais deveriam ser aplicadas em locais públicos, transporte e no interior dos estabelecimentos. O valor da multa pode ser revertido ainda em produtos da cesta básica e/ou de higiene. 

Ela foi criada no governo Jonas Donizette (PSB) como alternativa à multa estadual de R$ 500 que existia até então. No ano passado, desde agosto, foram 418 multas à campineiros e visitantes que não cumpriram a medida sanitária. 

Somente em agosto foram aplicadas 215 multas. Como a aplicação começou no dia 19, isso significa que essas multas foram aplicadas nos 13 últimos dias de agosto, o que dá uma média de 16,5 pessoas sendo multadas por dia. 

No entanto, esse número caiu nos meses seguintes, chegando a 23 multas em todo o mês de janeiro e sete multas até o dia 19 de fevereiro, o que dá uma média de 0,7 multas por dia em janeiro e 0,3 multas por dia em fevereiro. 

REGIÕES 

Segundo a Prefeitura, até o ano passado, as duas regiões com maior quantidade de multas eram em primeiro lugar o Centro (em primeiro) e em segundo os bairros do Cambuí e Taquaral. "É horrível andar em um lugar onde você está sendo obrigado a usar para a sua própria segurança, e a outra pessoa está sem", reclamou a atendente Ariana Costa. 

OS DADOS 

2020 

- agosto: 215
- setembro: 77
- outubro: 26
- novembro: 58
- dezembro: 42
- total: 418 

2021 

- janeiro: 23
- fevereiro (até dia 19): 7 multas
- total: 30 

PROTEÇÃO 

De acordo com o infectologista André Bueno, mesmo com a vacina já sendo aplicada, ainda se faz necessário o uso de máscara. 

"É uma via de mão dupla. Ela protege quem está no entorno da pessoa, porque ela vai limitar a dispersão de partículas infectantes, caso tenho uma pessoa infectada, e também vai proteger quem está usando", disse. 

PREFEITURA 

Apesar da queda dos números, a Prefeitura disse que intensificou as ações para cumprir as medidas sanitárias contra a covid-19. Disse ainda que a adesão ao uso de máscara cresceu de uma forma geral e provocou uma redução no número de multas. 

A Prefeitura justificou que antes de multar, a Guarda Municipal realiza uma ação educativa com os moradores, e que a multa só é aplicado caso a pessoa flagrada insista em não usá-la.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON