Publicidade

cotidiano

Ex-prefeito de Campinas, Jacó Bittar morre aos 81 anos

Jacó foi prefeito de Campinas entre os anos de 1989 a 1992; ele morreu em decorrência da Doença de Parkinson

| ACidadeON Campinas -

Ex-prefeito de Campinas Jacó Bittar que morreu na madrugada desta quinta-feira. (Foto: Redes Sociais)

Faleceu na madrugada desta quinta-feira (26), aos 81 anos, o ex-prefeito de Campinas Jacó Bittar. A morte foi confirmada pelo PSB, que informou por meio de nota a morte do político e líder sindical. 

Jacó foi prefeito de Campinas entre os anos de 1989 a 1992. Ele morreu em decorrência da doença de Parkinson, e deixou três filhos.

A Setec (Serviço Técnicos Gerais) informou que o velório de Jacó será no Cemitério da Saudade a partir de 12h de hoje. O sepultamento será às 16h30 no Cemitério Municipal de Sousas.  

NOTA PSB:
 
"Ao longo de mais de 50 anos de militância pelo Brasil, Jacó Bittar foi personagem ativo nas lutas e transformações sociais do país, sendo condutor ideológico e construtor da democracia brasileira. Em Campinas, revolucionou a cidade com uma administração moderna, inovadora através de seus projetos sustentáveis, ecológicos, educacionais e de mobilidade urbana. Como nosso líder e dirigente, foi o condutor do PSB em todas as esferas, municipal, estadual e nacional. Consternados, prestamos solidariedade à família, aos amigos e amigas e aos companheiros e companheiras de toda uma vida. O legado de Jacó Bittar é imortal". 

HOMENAGENS

O vice-prefeito de Campinas, Wanderley de Almeida, o Wandão, prestou homenagem ao ex-prefeito nas redes socais em uma nota:  

"Como se define alguém que se tornou um símbolo? Não é possível. Há homens que passam a vida procurando um caminho, mas há outros que atravessam o tempo sem perder o rumo. Ao longo de mais de 50 anos nas trincheiras pela democracia, Jacó Bittar personificou o ideal de uma geração.... Jacó de tudo nos deu exemplo. Como militante, líder e dirigente. No movimento sindical mostrou que só a luta organizada poderia garantir conquistas e direitos. Na luta política, legou-nos o valor do conceito de grupo, de coletivo, da disciplina individual perante ao todo.
Uma ideia não morre. Um conjunto de ideias não morre. Essa somatória se torna um ideal, passado de geração em geração.
Jacó Bittar nos deixa hoje mas seu exemplo, seus ensinamentos e seu legado permanecem vivos. Aprendemos com ele que não se faz nada grandioso sem que se pense com grandeza.
Jacó Bittar apostou no tempo e tornou-se imortal.
Obrigado por tudo, por todos nós!".


O ex-prefeito de Campinas, Jonas Donizette, também prestou homenagem por meio de rede social: "Faleceu o ex-prefeito Jacó Bitar, pessoa que teve uma trajetória política marcante, foi prefeito de Campinas de 1989 a 1992. Já há algum tempo vinha lutando com enfermidades, nosso sentimento a amigos e familiares", disse em seu instagram. 

Em nota, o PT informou o luto. "O Partido dos Trabalhadores está de luto, pela morte de Jacó Bittar, nosso fundador e primeiro prefeito de Campinas eleito pelo PT, em 1988. Sentimentos e solidariedade aos familiares e amigos".   

O presidente da Câmara Municipal de Campinas, vereador Zé Carlos, disse que Campinas perdeu parte da história política. 

"Não só Campinas como o país perde hoje uma parte de sua história política. Bittar, além de ter sido prefeito de nossa cidade, foi um líder sindicalista de destaque e um dos fundadores do PT. Mesmo fora dos holofotes nos últimos anos, ainda se interessava pela política e era filiado ao mesmo partido que eu, o PSB", disse.  

TRAJETÓRIA

Jacó Bittar nasceu em Manduri, São Paulo, em 12 de outubro de 1940. Foi petroleiro, político e sindicalista. Foi um dos fundadores do Sindicato dos Petroleiros de Paulínia e Campinas, da CUT e do Partido dos Trabalhadores.   

Foi também presidente do Sindicato dos Petroleiros também conselheiro do fundo de pensão da Petrobrás - Petros. Em 1988 elegeu-se prefeito de Campinas com 32,4% dos votos.

Publicidade