Aguarde...

cotidiano

Paulínia tem 1º caso de coronavírus e decreta emergência

Além do caso confirmado, a cidade de Paulínia tem 10 casos suspeitos e 10 descartados

| ACidadeON Campinas

Prefeitura de Paulínia (Foto: Divulgação) 

A Prefeitura de Paulínia confirmou na noite desta quinta-feira (19) o primeiro caso de coronavírus na cidade. O paciente é um homem de 36 anos, mora em Paulínia e trabalha em Campinas. Após a confirmação, a Administração decretou situação de emergência de 180 dias no município, além de outras 16 medidas (veja abaixo).

Segundo a Prefeitura, o homem foi atendido em um hospital privado de Campinas após sentir os sintomas da covid-19. Ele, então, passou por exames num laboratório particular onde foi diagnosticado.

Por possuir endereço comercial e residencial em Paulínia, o caso foi registrado no município. O quadro clínico é estável e o paciente segue em isolamento domiciliar, sendo acompanhado pela Vigilância em Saúde, informou a Prefeitura. Além do caso confirmado, a cidade de Paulínia tem 10 casos suspeitos e 10 descartados.  
 
LEIA MAIS
Sumaré decreta estado de emergência por causa do coronavírus
Campinas decreta situação de emergência por conta do coronavírus
Valinhos e Hortolândia decretam estado de emergência na saúde
Covid-19: Americana decreta estado de atenção e suspende aula


MEDIDAS

Em razão do primeiro caso confirmado de Coronavírus na cidade, o prefeito Du Cazellato decretou situação de emergência por até 180 dias em Paulínia.

A partir desta sexta-feira, 20, passam a valer também as seguintes medidas:

1) Regulamentação dos horários de ônibus de transporte coletivo, a fim de evitar a restrição de acesso ao transporte público e consequentes aglomerações;

2) Suspensão temporária dos alvarás de funcionamento de entretenimentos, como casas noturnas, pubs, tabacarias e afins, que promovam alta concentração e circulação de pessoas, bem com a suspensão da expedição de novos alvarás;

3) Suspensão temporária do funcionamento das academias particulares e de clubes esportivos de lazer;

4) Funcionamento restrito de restaurantes, que ficarão obrigados a conservar as seguintes condições, tanto para ambientes fechados quanto para ambientes fechados;

- Posicionamento das mesas a uma distância mínima de dois metros uma da outra, medida que deverá ser obtida do término de uma mesa a outra;

- Orientação aos frequentadores para que se mantenham sentados às mesas, sem incentivo à circulação ou aglomeração de pessoas;

5) Suspensão do funcionamento do Paulínia Shopping, exceto os serviços públicos considerados essências e que não pertencem ao Município (Agência da Caixa Econômica Federal e Detran);

6) Suspensão do funcionamento das feiras livres de alimentação na cidade;

7) Suspensão de atendimentos nos equipamentos públicos de assistência social do Munícipio (CREAS e CRASs), exceto para atendimentos de urgência a ser definido pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania;

8) Suspensão de eventos, a exemplo de casamentos, bailes, festas, formaturas, aniversários e afins;

9) Suspensão da realização de aulas teóricas e práticas em Centros de Formação de Condutores (Auto Escolas);

10) Regulamentação dos horários de funcionamento do Velório Municipal;

11) Suspensão do funcionamento de bares, lanchonetes, food trucks e similares, exceto aqueles que deverão trabalhar com exclusivamente com regime de entrega (Delivery) por meio de aplicativos eletrônicos e telefônicos;

12) Suspensão de cultos, missas e atividades ou manifestações religiosas;

13) Recomendação da redução de horário de funcionamento dos estabelecimentos comerciais;

14) Suspensão do funcionamento dos parques e dos equipamentos esportivos do Município de Paulínia;

15) O horário de expediente dos órgãos municipais será das 12h às 17h, e o atendimento ao público acontecerá por meio de agendamento prévios disponibilizados pelo Comitê de Gestão de Crise

16) A Guarda Municipal de Paulínia está autorizada a dispersar qualquer aglomeração de pessoas, com fundamento no Artigo 268 do Código Penal.

Mais do ACidade ON