Aguarde...

cotidiano

Prefeitura abrirá 800 vagas de reeducandos para população

Vagas antes ocupadas por integrantes do sistema prisional devem ser oferecidas para a população

| ACidadeON Campinas

Vagas serão para trabalhos que eram feitos pelos reeducandos do sistema prisional (Foto: Reprodução Secretaria de Administração Penitenciária)

A Prefeitura de Campinas anunciou nesta sexta-feira (26) que abrirá 800 vagas de emprego para a população, nas funções que antes eram feitas pelos reeducandos do sistema prisional que tiveram o contrato suspenso por causa da pandemia do coronavirus.

O projeto para as vagas será feito em forma lei, e deve ser encaminhado na semana que vem para a Câmara Municipal. As vagas são para trabalho braçal, como serviço de poda, roçagem e limpeza de espaços públicos.  

Segundo a prefeitura, haverá um trabalho de capacitação para os selecionados. Entre os benefícios está uma bolsa social, no valor de um salário mínimo (hoje fixado em R$ 1.045), além de alimentação e cesta básica.  

Serão contratados trabalhadores na faixa etária de 18 anos até 60 anos pelo período de seis horas diárias. Não haverá exigência de escolaridade, somente de exame de saúde que comprove que a pessoa esteja apta para as atividades braçais.   
 
LEIA TAMBÉM 
Comércio de Campinas continua fechado até o dia 5 de julho
Seis CSs abrem aos finais de semana para casos suspeitos de covid
 
Covid-19: Campinas tem mais seis mortes; casos passam de 7 mil

As contratações devem ser feitas temporariamente pelo período de três meses, podendo ser prorrogadas pelo mesmo tempo. Além disso, segundo a Prefeitura, as contratações serão feitas de maneira regional, para evitar os gastos com locomoção. Serão contratadas em média 40 pessoas por região, que devem trabalhar próximo ao local onde moram.  

Segundo o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB) as vagas são uma forma de ajudar na retomada da economia, e dar oportunidade, substituindo a mão de obra dessas pessoas pela população.  

"É uma forma de contratar e ajudar pessoas que estão precisando. Essas pessoas vão zelar pela cidade", declarou.

Mais do ACidade ON