Aguarde...

cotidiano

Fase verde: funcionários do Dom Pedro reclamam de aglomeração

Funcionários de lojas disseram que não houve controle de acesso ao centro de compras, como era feito antes da fase verde; shopping negou descumprimento de medidas e que manteve limite de clientes

| ACidadeON Campinas

Cena no shopping registrada no domingo (11): aglomeração nos corredores (Foto: Arquivo Pessoal) 

O primeiro fim de semana na fase verde do Plano São Paulo no Shopping Dom Pedro foi de lotação, segundo funcionários e lojistas do centro de compras de Campinas. De acordo com os trabalhadores, a situação foi de aglomeração nos corredores e dentro das lojas, pois não teria ocorrido controle de acesso nas portas de entrada.

Sob anonimato, os funcionários afirmaram que a cena parecia "final de ano", quando os shoppings costumam ficar lotados por causa das compras de Natal. "Antes, na semana passada, tinha segurança nas portas, passando álcool em gel e controlando a entrada. Mas agora não controlaram, entrou a gente que entrou. Quem sofreu foi a gente, pessoal do shopping, lojista", afirmou.

Ainda no domingo (12), os clientes chegaram a ficar presos e enfrentaram filas para sair do shopping, por conta de um problema no sistema de pagamento. Os motoristas relataram demora de 1h para conseguir sair do local (leia mais aqui).

Na fase verde do Plano São Paulo, que começou oficialmente no sábado (10) em Campinas, os shoppings podem funcionar por 12 horas (o mesmo horário de antes da pandemia), com capacidade total de até 60%. Segundo o shopping, isso não foi desrespeitado em nenhum momento no fim de semana ou nesta segunda-feira (12) (veja nota abaixo).

"A liberação era para ser de 60%, mas parecia final de ano. Não tinha controle de entrada nos corredores. Parecia lotação máxima. Tinha funcionário sozinho em algumas lojas. Difícil", disse.

Ainda segundo o funcionário, o estacionamento também estava lotado, com carros parando em cima de calçadas, além de alguns clientes sem máscara circulando nos corredores. "A gente fica a mercê", disse. Sobre outros centros de compras, ele afirmou que colegas não relataram a mesma situação.

ÔNIBUS

Os funcionários também reclamaram que os ônibus municipais que circulam no bairro só estão passando até as 20h, sendo que o horário de saída é as 22h na fase verde. "Estamos todos sem transporte. Ninguém mais tem ônibus. Essa questão está pesando muito também", afirmou.  



OUTRO LADO


Sobre a falta de controle de acesso denunciada pelos funcionários e aglomeração, o Shopping Dom Pedro informou que: "O Parque D. Pedro Shopping, para evitar mal entendidos e tranquilizar nossos clientes, colaboradores em geral, lojistas e terceiros, e suas famílias, esclarece que a informação recebida pelo Portal A Cidade On não está correta, talvez por desconhecimento dos autores sobre como o controle e vigilância dos protocolos de Saúde estão sendo realizados pela administração do empreendimento, como o controle eletrônico de presença, aferição de temperatura e dispensers com álcool gel em todas as entradas".

Além disso, o centro de compras disse que "desde a autorização dada pelos governos municipal e estadual para a reabertura do comercio em Campinas, adaptando a sua atividade à fase verde, do plano São Paulo, o Parque D. Pedro Shopping vem cumprindo rígidos critérios e protocolos que foram estabelecidos para a sua operação, baseados nas recomendações das autoridades da Saúde e da contratação de consultoria especializada em infectologia, chancelada pelo Hospital Sírio-Libanês em São Paulo".

A nota continua informando que "nesse sentido, atenção especial é dada ao fluxo de pessoas, limitando a capacidade em 60% de pessoas, ao mesmo tempo, conforme decreto municipal" e que "o acesso de pessoas ao Shopping é acompanhado em tempo real e nas raras vezes em que esse limite esteve prestes a ser superado, no início da pandemia, o acesso de clientes foi bloqueado".

Ainda segundo o shopping, "isso não aconteceu nenhuma vez nesse final de semana prolongado de 10 a 12 de setembro, tendo o shopping chegado ao máximo de 90% dessa capacidade".

O centro de compras também disse que "seus lojistas seguem as mesmas recomendações e procedimentos para a operação no interior de suas lojas, como: distância mínima de caixas, cuidados com aglomerações e presença de dispenser de álcool em gel para uso dos clientes. Sendo que a Sinalização de distanciamento mínimo de 1,5 metros, organização e sinalização de filas, dentro das lojas, e de responsabilidade de cada loja".

Por fim, o Parque D Pedro Shopping "continuará promovendo o distanciamento seguro, além da aferição de temperatura e uso de máscaras, conforme determinação da Prefeitura Municipal, para preservar o bem-estar e a saúde de clientes, lojistas e colaboradores; orientando aqueles que forem verificados com temperatura corporal acima de 37,5º C, considerado febre, que não ingressem no local e retornem para casa".

Além disso, "todos que forem acessar o shopping devem obrigatoriamente fazer o uso de máscara. Impediremos o acesso de pessoas que não estejam fazendo uso, conforme determinação do decreto".

Em relação ao transporte público, a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) informou, via assessoria de imprensa, que "foi procurada e informou que vai apurar o ocorrido".

Mais do ACidade ON