cotidiano

Especial coronavirus

Campinas fecha leitos de covid na UPA Carlos Lourenço no dia 1º

Atendimento à doença será centralizado no Hospital Ouro Verde e na Unidade Hospitalar Mário Gatti-Amoreiras

| ACidadeON Campinas -

UPA Carlos Lourenço foi inaugurada em novembro do ano passado (Foto: Carlos Bassan/PMC)
UPA Carlos Lourenço foi inaugurada em novembro do ano passado (Foto: Carlos Bassan/PMC)
 

A partir de 1º de novembro a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Carlos Lourenço, em Campinas, não vai mais receber pacientes infectados pelo coronavírus. A medida foi anunciada nesta quarta (20) pela secretaria de Saúde.

Os leitos do local serão bloqueados para que sejam feitos os trabalhos de adaptação, limpeza e desinfecção de quartos, salas e de todo o mobiliário. Depois disso, no dia 3 de novembro, a UPA deve voltar a receber e atender o público geral.

Com isso, a Rede Mário Gatti vai centralizar o atendimento da pandemia no Hospital Municipal Ouro Verde e na Unidade Hospitalar Mário Gatti-Amoreiras, com um total de 35 leitos de UTI e 43 de enfermaria para os contaminados.

COMO VAI FUNCIONAR

A UPA Carlos Lourenço vai funcionar por 24h para atender a população e também os casos levados pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Serão 23 leitos: 18 de observação, dois de observação de isolamento e três de emergências.

Conforme as diretrizes dos órgãos da saúde, a unidade também terá uma porta para atendimento de sintomáticos respiratórios e outra para não sintomáticos.

MOTIVOS

A reversão na UPA ocorre em função da queda na necessidade de internações de infectados nas últimas semanas. Atualmente, o espaço conta com 33 leitos de enfermaria para a covid-19. Destes, 10 estão ocupados por pessoas contaminadas pelo vírus.

Durante a pandemia, a unidade não interna pacientes, mas estabiliza aqueles com emergências para permitir a remoção imediata após regulação para o hospital de referência. O local foi usado principalmente em momentos de alta nas infecções.

Mais notícias


Publicidade