Publicidade

esportes

Com pedido por um mundo mais inclusivo, Japão encerra Jogos Paralímpicos

Cerimônia de encerramento marca fim das Paralimpíadas de Tóquio e a passagem de bastão para França, próxima sede em 2024

| ACidade ON -

Em sua despedida dos Jogos, Daniel Dias foi o porta-bandeira do Brasil na cerimônia de encerramento (Foto: Takuma Matsushita/CPB)
Depois de 12 dias de competições, a chama das Paralimpíadas foi apagada neste domingo (5). Com uma linda festa na cerimônia de encerramento, que contou com show de luzes, muita música e um pedido por um mundo mais inclusivo para as pessoas com deficiência, mas sem a presença do público, por conta da pandemia do coronavírus, os japoneses se despediram dos Jogos e passaram o bastão para a França, próxima sede do evento, que vai acontecer em 2024. 

A festa também marcou a despedida do maior medalhista paralímpico da história do Brasil. Daniel Dias fez seu último ato em Paralimpíadas e disse adeus aos Jogos somando três bronzes em Tóquio para a coleção agora de 27 medalhas. Ele foi o porta-bandeira brasileiro na festa de encerramento para se despedir. 

Além disso, Daniel Dias também foi empossado como novo representante eleito do Conselho de Atletas do IPC. Além do brasileiro, foram eleitos a italiana Martina Caironi (atletismo), a cubana Omara Durand (atletismo), o japonês Takayuki Suzuki (natação), a holandesa Jitske Visser (basquete sobre cadeira de rodas) e a iraniana Zahri Nemati (tiro com arco). 

Resultados brasileiros 

O Brasil encerrou sua participação em Tóquio na sétima colocação no quadro de medalhas, com 72 conquistas (22 ouros, 20 pratas e 30 bronzes), igualando sua melhor participação, que havia sido nas Paralimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016. 

A edição também marcou um novo recorde brasileiro de ouros nos Jogos Paralímpicos. A delegação conquistou 22 medalhas douradas, superando a marca de 21, que havia sido atingida nas Paralimpíadas de Londres, em 2012. 

Confira abaixo todos os medalhistas brasileiros em Tóquio: 

Natação: Gabriel Bandeira (ouro e 2x prata); Wendell Belarmino (ouro e bronze); Gabriel Araújo (2x ouro e prata); Cecília Araújo (prata); Prata no revezamento 4x100m livre misto; Phelipe Rodrigues (bronze); Daniel Dias (2x bronze); Maria Carolina Santiago (3x ouro e bronze); Mariana Ribeiro (bronze); Beatriz Borges (bronze); Talisson Glock (ouro e bronze) Bronze no revezamento 4x50m misto; Bronze no revezamento 4x100m misto.  

Atletismo: Yeltsin Jacques (2x ouro); Silvânia Costa (ouro); Petrúcio Ferreira (ouro e bronze); Wallace Santos (ouro); Claudiney Batista (ouro); Beth Gomes (ouro); Alessandro Rodrigo (ouro e prata); Thalita Simplício (prata e bronze); Raissa Rocha Machado (prata); Marivana Oliveira (prata); Thomaz de Moraes (prata); Vinícius Rodrigues (prata);  Marco Aurélio Borges (prata); Alex Pires (prata); João Victor Teixeira (2x bronze); Washington Júnior (bronze); Julyana da Silva (bronze); Cícero Nobre (bronze); Jardênia Felix (bronze); Mateus Evangelista (bronze); Thiago Paulino (bronze); Ricardo Gomes (bronze); Jerusa Geber (bronze). 

Esgrima: Jovane Guissone (prata). 

Hipismo: Rodolfo Riskalla (prata). 

Tênis de Mesa: Bruna Alexandre (prata); Cátia Oliveira (bronze); Bronze por equipes na classe 9-10. 

Judô: Alana Maldonado (ouro); Lúcia Araújo (bronze); Meg Emmerich (bronze). 

Remo: Renê Campos Pereira (bronze). 

Halterofilismo: Mariana D'Andrea (ouro). 

Bocha: Maciel Santos (bronze); José Carlos Chagas (bronze). 

Paratawekwondo: Nathan Torquato (ouro); Silvana Fernandes (bronze). 

Canoagem: Fernando Rufino (ouro); Luis Carlos Cardoso (prata); Giovane Vieira (bronze). 

Goalball: Seleção masculina (ouro). 

Vôlei Sentado: Seleção Feminina (bronze). 

Futebol de 5: Seleção masculina (ouro).

Mais notícias


Publicidade