Aguarde...

ACidadeON

Cotidiano

3 - Defensoria pede à Justiça que União mantenha regras do Mais Médicos

| FOLHAPRESS

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A Defensoria Pública da União informou nesta sexta-feira (16) ter pedido à Justiça Federal de Brasília que determine à União a manutenção das atuais regras do programa Mais Médicos.O órgão pede que profissionais estrangeiros não precisem ser submetidos à revalidação de diploma para atuar no programa. A medida ocorre após o governo de Cuba anunciar na quarta-feira (14) o fim da participação de médicos do país no Mais Médicos. A decisão foi atribuída a declarações do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), que questiona a qualificação dos médicos cubanos e tem manifestado intenção de modificar o acordo, exigindo revalidação de diplomas e contratação individual.Segundo a defensoria, o pedido visa evitar que a população atendida pelo programa "seja prejudicada com a saída abrupta de milhares de médicos" sem que o Ministério da Saúde promova medidas para repor "imediatamente" as vagas abertas com a saída dos profissionais.No documento, a Defensoria defende ainda que sejam mantidas as atuais regras do programa Mais Médicos para a participação de médicos estrangeiros de qualquer nacionalidade, "condicionando quaisquer alterações, especialmente no tocante a desnecessidade de submissão ao Revalida, à realização de prévio estudo de impacto e comprovação da eficácia imediata das medidas compensatórias que assegurem a plena continuidade do serviços".Atualmente, 8.332 médicos cubanos atuam no Mais Médicos -o equivalente à metade dos profissionais do programa. Para a Defensoria, a "rescisão repentina desses contratos impactará negativamente o desatendimento de mais de 29 milhões de brasileiros, um cenário desastroso em, pelo menos, 3.243 municípios". "Ainda que seja possível questionar pontos do programa, como a desnecessidade de prévia submissão de médicos estrangeiros ao Revalida, o percentual pago pelo governo brasileiro diretamente ao governo cubano e não aos médicos, e a impossibilidade de médicos trazerem suas famílias, fato é que o STF -a quem cabe dar a última palavra sobre a aplicação escorreita da Constituição Federal- declarou o programa Mais Médicos constitucional", aponta o órgão. Em nota, o Ministério da Saúde informa que a seleção de profissionais brasileiros em primeira chamada do edital para ocupar as vagas abertas pela saída de médicos cubanos será realizada ainda no mês de novembro. Já o comparecimento aos municípios deve ocorrer "imediatamente" após a seleção, completa.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Cadastrados

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentário (obrigatório)
0 comentários