Patrocinador:

Publicidade

tudo inovação

Profissionais apontam habilidades emocionais como características fundamentais para empreender

Para os entrevistados, coragem, persistência e resiliência devem estar alinhadas com a capacitação e o conhecimento técnico

| Tudo inovação -

Entrada do Parque Científico e Tecnológico da Unicamp. (Foto: Divulgação/Unicamp)
 O número de pessoas que buscam no próprio negócio uma maior liberdade profissional cresce a cada dia. Mas será que é fácil empreender? O Tudo Inovação traz dicas práticas de especialistas sobre os investimentos em um modelo de negócio, e sobre como dar o primeiro passo para o empreendedorismo com responsabilidade para a conquista da realização profissional e pessoal. 

A gerente do Parque Científico, Tecnológico e da Incubadora da Unicamp, Mariana Zanatta, lista algumas dicas, confira abaixo: 

Dica 1: Identificar problema a ser solucionado 

Encontre um segmento de negócio que apresente alguma "dor", ou seja, algum problema para o qual ninguém ainda apresentou uma solução. Muitas vezes, há um nicho dentro do segmento que ainda receberia bem uma solução mais específica para suas necessidades do que as existentes. 

Dica 2: Montar um modelo de negócios 

Antes de executar o projeto, o planejamento é fundamental. Busque por metodologias e ferramentas para que você possa estruturar as ideias, de forma que, no caso de cometer um erro, ele possa ser solucionado rapidamente. 

"É como sair de férias com um bom roteiro; vai evitar gastos desnecessários e proporcionar uma viagem mais bem organizada", afirmou Mariana. Ainda que saibamos que dificilmente tudo sairá exatamente como planejado, colocar as ideias no papel de maneira mais estruturada ajuda a visualizar oportunidades e pontos fortes, além de materializar o negócio. 

Dica 3: Validar a solução a ser proposta 

É importante analisar o mercado e conversar com o potencial cliente, para entender se, de fato, a sua proposta soluciona o problema que ele está enfrentando. "Este é um passo extremamente importante porque vai te dar um feedback sobre a situação, se você está no caminho certo ou se é preciso recuar e corrigir seu modelo de negócio para então poder retomar e seguir em frente". 

Você só consegue ter esse tipo de resposta indo a campo e conversando com seu potencial cliente. O cuidado é válido aqui para observar com humildade e receber as informações de maneira bastante aberta. É comum termos certo apego às propostas que fazemos e, assim, interpretarmos erroneamente quando algo ou alguém levanta pontos que invalidem a proposta ou mostrem que ela precisa mudar bastante. O mindset aqui é: melhor fazer as mudanças todas a partir de uma etapa de validação do que com o negócio já estruturado e com investimentos feitos. 

Dica 4: Criar um protótipo ou um Produto Mínimo Viável (MVP) 

A criação de um primeiro produto é importante para que o cliente possa tê-lo nas mãos, mesmo que em uma versão inicial, e testar, ou seja, ter com ele essa experiência e a partir daí te dar um feedback sobre a solução proposta por você. Apenas contar a sua ideia para alguém e ver o que essa pessoa acha é um caminho muito frágil e passível de interpretações errôneas. 

A ideia de se criar um protótipo ou MVP é você materializar sua proposta, ainda que de maneira completamente manual ou simples, mas de forma que o cliente possa experimentar o valor que a sua solução propõe e, a partir daí, formar uma opinião ou sugerir melhorias. 

Você não precisa nem deve esperar o produto para alcançar o usuário ou cliente. Até porque a ideia de um produto "pronto" ou "perfeito" deve ser descontruída. O que devemos ter em mente é que a sua proposta, seja ela um produto ou serviço, estará em constante aperfeiçoamento e melhoria, a partir da interação com os usuários. Por isso, o quanto antes você iniciar essa interação, melhor. E, nesse caso, o protótipo ou MVP é o caminho ideal para já colher insights
Inteligência emocional e coragem para inovar.

Para empreender, além do conhecimento técnico, é preciso também investir na própria inteligência emocional. Para a gerente a persistência e a resiliência são características fundamentais no processo. "Nem sempre é fácil empreender. Muitas vezes tentamos uma, duas ou mais vezes. É preciso foco e não se deixar abater pelas negativas do mercado. Persistência e resiliência fortalecem a perseverança no caminho até o sucesso". 

Para concretizar uma solução à uma demanda real identificada, é preciso mais do que visão, é preciso coragem, aponta a especialista. 

Em São Carlos, o empreendedor, Victor Bermudes, começou em 2018 um novo modelo de negócio. São lojas em formato container, um minimercado com produtos variados e que pode ser instalado dentro de empresas, de condomínios, e no qual o consumidor é seu próprio atendente. "A pessoa instala o aplicativo no celular, vai até a loja, pega o produto, escaneia o código de barras da embalagem e assim paga", explicou. 

"No nosso caso, oferecemos ao cliente um licenciamento de aplicativo, porque, por exemplo, no caso de uma franquia, ela é muito travada, você tem que seguir um padrão, que muitas vezes não é adequado àquela realidade. Então montamos um modelo em que a loja pode ser adaptada. Ajudamos a pessoa a montar o negócio, a negociar com o local de instalação, condomínios ou empresas, a montar a loja, definir o mix de produtos e os preços", explicou Victor sobre o modelo de negócios da sua empresa. 

Com várias unidades implantadas, a experiência deu tão certo que se transformou também em uma iniciativa de impacto social. Atualmente uma delas está presente na favela de Paraisópolis, em São Paulo. "A ideia é capacitar os moradores a serem também proprietários deste tipo de loja". Bem-humorado, a dica de Victor para quem desejar empreender é "Se está ruim, não reclame, mude!"

Mais notícias


Publicidade