Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

Noticias

Campinas fecha 516 vagas de trabalho em março

Em março deste ano, em Campinas, o único segmento que fechou com saldo positivo foi a Construção Civil, com 86 postos

| ACidadeON Campinas

Em todo o país, foram fechadas 43.196 vagas de trabalho empregos com carteira assinada em março (Foto: PMC) 

Campinas perdeu 516 vagas de trabalho durante o mês de março, segundo levantamento do Caged (Cadastro Geral Empregados e Desempregados) divulgado na quarta-feira (24).

O número, diferença entre contratações e demissões na cidade, representa uma queda de 188,81% em relação a março do ano passado. No acumulado do ano, de janeiro a março, foram criados 1.324 postos, cerca de 37,69% abaixo dos 2.125 postos gerados no primeiro trimestre de 2018.

Em março deste ano, em Campinas, o único segmento que fechou com saldo positivo foi a Construção Civil, com 86 postos. Indústria, serviços, comércio, administração pública e a agropecuária, juntos, eliminaram 609 vagas.

"Os números reverteram a tendência positiva que se abria no início do ano. A crise econômica, agora com a Reforma da Previdência, afeta o nível de confiança das empresas e consumidores. As empresas não investem e os consumidores não compram, refletindo no nível da oferta e procura para a empregabilidade", diz Laerte Martins, economista da Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas).

Na RMC (Região Metropolitana de Campinas) a situação é um pouco diferente, mas os números também são ruins. Em março, o saldo é positivo, com 327 postos de trabalho gerados. A queda, no entanto, é de 86,52% em relação aos 2.426 postos gerados em março de 2018.

CRISE

Em todo o país, foram fechadas 43.196 vagas de trabalho empregos com carteira assinada em março. O saldo é a diferença entre as contratações (1.216.177) e as de demissões (1.304.373) no período.

Esse foi o primeiro resultado negativo em três meses. A última vez que o Brasil havia registrado demissões foi em dezembro do ano passado, com o fechamento de 341.621 postos com carteira assinada.

Esse também foi o pior saldo para meses de março desde 2017, quando 62.624 trabalhadores foram demitidos. No mesmo mês do ano passado, foram registradas 56.151 contratações.

Após três anos seguidos de demissões, a economia brasileira voltou a gerar empregos com carteira assinada em 2018, quando foram abertas 529.554 vagas formais, de acordo com dados oficiais.

O secretário de Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, afirmou que o fechamento de vagas em março é um "movimento natural de mercado". Ele notou que, em fevereiro, a abertura de 173 mil vagas formais veio acima das expectativas do mercado, ocorrendo um ajuste no mês seguinte. Dalcolmo avaliou que as empresas atrasaram as demissões de fevereiro para março.

Mais do ACidade ON