Publicidade

brasilemundo

Polícia diz que responsável por ataque em ônibus em Piracicaba não teve motivações

De acordo com a Polícia Civil, o homem escolheu aleatoriamente as vítimas; três pessoas morreram

| ACidadeON Campinas -

 

No ataque, três pessoas foram mortas e outras três ficaram feridas (Foto: Reprodução/ Redes Sociais)

 

Na tarde desta terça-feira (21), um homem esfaqueou seis pessoas em um ônibus de Piracicaba. De acordo com a Polícia Civil, o nome do suspeito do crime é José Antônio Santana Filho, de 52 anos. Ele passa hoje por audiência de custódia. 

Ainda segundo a polícia, o assassino não teve motivações para o crime e ele possivelmente teve um surto psicológico no momento do ataque. A polícia diz que a escolha das vítimas foi aleatória e ele apresentava falas desconexas no momento do ataque.   

LEIA TAMBÉM 
Ataque com faca em ônibus deixa três mortos em Piracicaba 
Mulher é atropelada por motociclista embriagado e morre em Campinas 

ATAQUE E VÍTIMAS 

O ataque aconteceu na Avenida Armando Salles de Oliveira, no ônibus sentido Centro-Vila Sônia. De acordo com uma passageira, o homem saiu do terminal em silêncio e, de repente, começou a realizar os ataques. 

Imagens que circulam nas redes sociais mostram o momento em que a Polícia Militar chega ao local e prende o homem.
Segundo o último boletim médico da unidade de saúde da cidade, um rapaz de 28, em estado grave, e uma idosa de 60 anos, em estado estável, seguem internados no Hospital dos Fornecedores de Cana (HFC). Já uma idosa foi socorrida com crise nervosa em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da rede municipal. 

De acordo com a Prefeitura, morreram no ataque duas mulheres, de 42 e 55 anos, e um homem de 68 anos. 

MANIFESTO DA EMPRESA 

Em nota, A TUPi Transporte declara, com profunda tristeza, apoio e solidariedade às vítimas e familiares da tragédia. 

O texto detalha que o ataque aconteceu na Linha 444 Sônia/ centro e que as "informações indicam que uma pessoa atacou deliberadamente quem estava em sua frente com uma faca vitimando pessoas e ferindo outras". 

LEIA TAMBÉM 
Aumento do diesel preocupa indústria na região de Campinas 

*Com supervisão de Bárbara Gasparelo 

Publicidade