Aguarde...

Cotidiano

MP abre inquérito para investigar patrimônio do prefeito Dixon

Prefeito terá 30 dias para responder questionamentos da promotoria

| ACidadeON

ACidade ON
Prefeito teve as contas rejeitadas na campanha do ano passado

A 2ª Promotoria de Justiça de Paulínia instaurou inquérito civil para apurar a evolução do patrimônio pessoal do prefeito Dixon Carvalho (PP). Ele terá até 30 dias para responder aos questionamentos elaborados pela promotora Verônica Silva de Oliveira.

Durante o processo de registro da candidatura a prefeito de Paulínia, nas eleições do ano passado, o então candidato Dixon declarou à Justiça Eleitoral possuir um patrimônio de R$ 591.519,34. No entanto, em dezembro de 2016, ele apresentou à Câmara Municipal uma “Declaração Pública de Bens” com patrimônio de R$ 5 milhões, um aumento de 763%, em relação ao declarado à Justiça Eleitoral.

A promotoria abriu inquérito após reportagem do Jornal Tribuna mostrar que o prefeito de Paulínia teria, no período de 48 horas, comprado um apartamento por R$ 80 mil e o vendido por R$ 1,5 milhão.

SUSPEITAS

Se comprovados, os fatos narrados “podem configurar, além de crime, atos de improbidade administrativa tipificados na Lei 8.429/92”, colocou a promotora. Em seu despacho, a promotora destaca como “suspeitas, notadamente”, entre as citadas pela reportagem do Tribuna, as seguintes negociações: “aquisição de uma casa de alto padrão no Condomínio Villa Lobos, cuja venda foi anunciada por R$ 3.500.000,00, montante muito superior ao patrimônio declarado pelo então candidato”.

A promotoria também destacou em seu despacho a doação para a própria campanha eleitoral em 2016 de R$ 681.500,00; permuta de um apartamento localizado na Rua Regente Feijó, em Campina);  e aquisição de automóveis de luxo".

DIXON

"É importante esse pedido de explicação por parte do Ministério Público. Terei a oportunidade de mostrar que tudo foi feito dentro da legalidade e provar que essas acusações sistemáticas têm conotação política motivada para atrapalhar a administração do meu governo."
 


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON