Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

HC da Unicamp retoma exame após falta de medicamento

Cintilografia óssea identifica se câncer se espalhou para os ossos. Exames foram suspensos no último dia 14

| ACidadeON/Campinas

HC da Unicamp. (Foto: Lícia Mangiavacchi/EPTV) 

O Hospital de Clínicas da Unicamp retomou nesta quarta-feira (27) a realização da cintilografia óssea, exame necessário para saber se pacientes com câncer de mama, próstata ou pulmão tiveram a doença espalhada para os ossos.

Os exames estavam suspensos desde o dia 14 de junho depois que o MDP, radiofármaco usado no teste, ficou em falta. Os lotes do MDP chegaram ontem (26). De acordo com o HC, a falta do MDP afetou a realização de 98 exames. Com a retomada de hoje, a previsão é que até a próxima semana toda essa demanda reprimida seja atendida pelo hospital.

O MDP é fabricado e comercializado no Brasil pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), uma autarquia vinculada ao governo do Estado de São Paulo e gerida técnica e administrativamente pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), órgão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

O estoque do MDP acabou no HC depois que, no último dia 18 de maio, o Ipen foi impedido de fabricar 16 radiofármacos (substâncias que usam elementos radioativos) pela Anvisa e pela Covisa, órgãos de vigilância em saúde do governo federal e da prefeitura de São Paulo.

A interdição ocorreu porque a estrutura destas linhas de produção e o número de funcionários foi considerado inadequado pelos órgãos. Com isso, o estoque de MDP acabou.

Questionada sobre a liberação da linha de produção do MDP, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) disse que resolução publicada no Diário Oficial da União no dia 18 de junho determinou a desinterdição do Ipen.

A decisão da Anvisa ocorre, segundo a resolução, "visando, em especial, à proteção dos direitos da população à saúde e ao melhor cumprimento dos fins da administração pública".

Procurado, o Ipen disse que a liberação da linha de produção ocorreu logo após a resolução publicada pela anvisa e que o abastecimento do HC foi normalizado.

Em relação à falta de funcionários, o Ipen disse que a contratação de servidor público é somente via concurso. O Ipen já apresentou sua demanda à CNEN e ao MCTIC quanto ao número de vagas suficientes para minimzar essa lacuna apontada pela Anvisa/Covisa.

QUER CONTINUAR LENDO ESTE CONTEÚDO E MUITOS OUTROS? FAÇA SEU LOGIN OU CADASTRE-SE

Informe seu e-mail e senha cadastrados para ter acesso a todo conteúdo do site:

ainda não tem cadastro?
QUER LER ESSE CONTEÚDO? CADASTRE-SE

Informe seu Nome, E-mail e senha para se cadastrar no Acidade ON

Quero ser informado sobre promoções e ofertas do Acidade ON e seus parceiros
Aceito os Termos de Uso do Acidade ON

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Veja também