ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Juiz determina desocupação do prédio da reitoria por grevistas

O prazo para que a determinação seja cumprida é de 24h, por isso eles têm até as 16h30 de hoje para deixarem o local

| ACidadeON/Campinas

Reitoria foi ocupada por funcionários grevistas. (Foto: Denny Césare/Código 19)

Os funcionários grevistas da Unicamp deixaram o prédio da reitoria na manhã desta sexta-feira (6) após assembleia do STU (Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp). Eles resolveram atender a a liminar da justiça que determinava a saída do movimento ate às 18h de hoje. Apesar de deixarem o prédio, ocupado desde a tarde da última terça-feira (3), os grevistas continuam acampados na frente da reitoria.  

A intenção dos grevistas é marcar uma reunião com o reitor Marcelo Knobel na próxima terça-feira (10) pela manhã. Eles querem também a presença de parlamentares e entidades na reunião.

Ontem, o juiz da 1º Vara da Fazenda Pública de Campinas, Mauro Iuji Fukumoto, expediu uma liminar que determina a desocupação do prédio da reitoria pelos funcionários grevistas que estão no local. O prazo para que a determinação seja cumprida era de 24h.

A liminar também determina o agendamento de nova reunião de negociação, no prazo máximo de 24 horas após a desocupação, na qual deverá haver o comparecimento pessoal do reitor, Marcelo Knobel.

Desde a última terça-feira (3), um grupo de trabalhadores da Unicamp, com apoio do STU (Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp), ocupa o prédio da reitoria da Universidade, depois de uma reunião de negociação ter sido encerrada sem avanço. Eles estão de greve desde o dia 22 de maio. Ao todo 12 pessoas estão dentro da reitoria e cerca de 100 do lado de fora. Eles afirmam que só sairão do local após o reitor Marcelo Knobel ir até o local para conversar com eles. Apesar da ocupação no local o trabalho na reitoria segue normalmente.

Hoje pela manhã está previsto uma assembleia onde os grevistas vão decidir se irão deixar o prédio e também pela continuação ou não do movimento grevista.

Ontem (5) pela manhã o reitor da Unicamp deu uma entrevista coletiva onde afirmou que não irá ao encontro dos grevistas. Porém, afirmou que se reuniria com eles quando eles deixassem o prédio. Por outro lado os grevistas afirmaram que não iriam deixar o local. Ao todo 12 pessoas estão dentro da reitoria e cerca de 100 do lado de fora.

Por meio de nota a reitoria da Unicamp afirmou que sempre esteve aberta ao diálogo e está pronta para atender à determinação judicial, na expectativa de que o impasse seja resolvido pacificamente.   
 
IMPASSE
 
Os grevistas alegam que estão com salários defasados há três anos e reivindicam reajuste de 12,6%. A Unicamp apresentou uma proposta de aumento de 1,5% diante da situação financeira da universidade, que previa déficit orçamentário de R$ 238,4 milhões antes de considerar a aprovação do reajuste nas contas.
 
Quanto ao vale alimentação os grevistas querem um aumento de R$ 230, fazendo com que o tíquete passasse a R$ 1.080. A proposta da universidade é de R$ 950.  

Veja também