Aguarde...

cotidiano

Após fechar, Unicamp remaneja bibliotecário para CMU

Biblioteca está fechada desde segunda-feira (23) por falta de funcionários

| ACidadeON/Campinas

A Biblioteca Prof. José Roberto do Amaral Lapa, que faz parte do CMU (Centro de Memória da Unicamp). (Foto: Divulgação) 

Fechada desde segunda-feira (23), a biblioteca do CMU (Centro de Memória da Unicamp) poderá voltar a abrir as portas na próxima semana. Isso porque a Reitoria da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) informou na tarde desta quarta-feira (5) que remanejou um bibliotecário de outra biblioteca para dar meio expediente diário junto ao acervo do CMU.

A decisão foi da Coordenadoria Geral da Universidade (CGU) e a Biblioteca Central Cesar Lattes (BC-CL). O servidor assumirá a função a partir da próxima segunda-feira (30), inicialmente no período da tarde. O caso foi revelado na última semana pela reportagem do ACidadeON Campinas.

O CMU anunciou na terça-feira (17) que teria que suspender o atendimento pela falta de funcionários. O Centro abriu até um abaixo-assinado pedindo apoio da população para pressionar a Reitoria da Universidade Estadual de Campinas que reponha o quadro funcional do CMU, garantindo a reabertura da Biblioteca.

A biblioteca, que tem obras raras como partituras de Carlos Gomes, foi fechada porque as duas bibliotecárias que vinham se revezando nas atividades de gestão do acervo, catalogação e atendimento ao público, se aposentaram.  



"DIMENSÃO INJUSTIFICADA"

Para a coordenadora-geral da Unicamp, professora Teresa Atvars, "a questão ganhou uma dimensão injustificada. Se a direção do CMU tivesse trazido o problema até a Reitoria antes de decidir pela suspensão das atividades da biblioteca, o mesmo recurso teria sido usado, o que teria evitado uma série de transtornos e boatos".

Além disso, para a reitoria, a decisão da direção do CMU foi "unilateral, portanto sem consulta à CGU, à Reitoria ou Coordenadoria dos Centros e Núcleos Interdisciplinares de Pesquisa (Cocen), que suspenderia o atendimento da sua biblioteca ao público, alegando falta de funcionário".

Em nota oficial, a reitoria diz ainda que "a medida foi anunciada no sítio do Centro e nas redes sociais. Em seguida, a reitoria considerou, por meio de nota oficial, a medida inadequada do ponto de vista acadêmico e desnecessária do ponto de vista administrativo, ponderando que havia inúmeras outras alternativas para a disponibilização pública do acervo, entre elas medidas de natureza administrativa, que não envolveriam novas contratações, como o remanejamento de pessoal".  




Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON