Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Falso sequestro extorque quase R$ 200 mil de médica

A polícia encontrou a mulher depois que colegas de trabalho estranharam que ela não apareceu para trabalhar

| ACidadeON Campinas

 

Caso foi desvendado pelo Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa de Campinas (Foto: Reprodução/Google Street View)


A Polícia Civil de Campinas está investigando um caso de falso sequestro que extorquiu da vítima quase R$ 200 mil. O foco dos bandidos foi uma médica de 53 anos que acreditou que a filha, de 23, e que mora em outra cidade, estava nas mãos de bandidos. A mulher chegou, orientada pelos bandidos, a sair de casa e ficou desaparecida por 36 horas. Nesse tempo fez transferências bancárias para os criminosos.

Após um dia e meio a polícia a encontrou em uma agência bancária dentro do campus da Unicamp. No local ela havia acabado de fazer uma nova transferência para os criminosos. Apenas quando chegou a delegacia, levada pelos policiais, a mulher percebeu que a filha não estava sequestrada. A extorsão começou no domingo a noite e terminou na tarde de terça-feira (13). 

A polícia encontrou a mulher depois que colegas de trabalho estranharam que ela não apareceu para trabalhar e entraram em contato com a filha, que ligou para o pai, que também mora em Campinas. Como ele não encontrou a médica na casa onde ela mora sozinha, no distrito de Barão, fez um boletim de ocorrência no 7º Distrito Policial por desaparecimento.   
 
LEIA TAMBÉM 
Papai Noel chega a dois shoppings hoje; Palavra Cantada faz show
Tá em Campinas? veja o que abre e fecha durante o feriadão
Acidentes na Santos Dumont travam o trânsito pela manhã
Suposto acidente deixa um morto, um ferido e moto furtada
Viaduto cede e bloqueia Marginal do Pinheiros, sentido Castelo


O setor de inteligência da Polícia Civil conseguiu descobrir o paradeiro da mulher na agência da Unicamp. Segundo a polícia, a mulher recebeu mais de 100 ligações dos criminosos que conseguiram a persuadir a não fazer nenhuma ligação para parentes ou tentar falar com a própria filha. Em todos os momentos eles utilizaram ligações para pressioná-la e mostravam que a suposta filha era, a todo momento, ameaçada.

O caso está sendo investigado pelo Setor de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP) e Delegacia de Investigações Gerais (DIG). A polícia alerta que golpes do tipo estão ocorrendo com bastante intensidade na região de Campinas e que os criminosos utilizam linhas de telefone de outros estados ou números privados para persuadir e fazer a vítima a acreditar no falso sequestro. Muitas vezes eles usam vozes femininas ou até mesmo choro ao fundo da ligação para impressionar as vítimas.

A polícia afirma também que falsos sequestros têm sempre as mesmas características: são os feitos por telefone onde os criminosos passam contas para serem feitas transferências e ligam a todo momento para a vítima e assim a impedem de pedir ajuda. A polícia alerta também que antes de praticar qualquer conduta, com ir para bancos a vítima tem que ligar para a polícia e pedir orientação. A polícia lembra que sequestrador de verdade não liga toda hora, não pede para fazer transferências bancárias, por exemplo. Nesse último caso, depois que a mulher fez as transferências para contas abertas em nomes falsos, os bandidos as cancelaram.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Veja também