Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Benefícios da inclusão escolar de crianças autistas

Uma escola adequada e com profissionais preparados melhorou o desempenho da criança e a relação familiar

| ACidadeON

A escola adequada ajudou Heitor a se socializar e melhorou a relação em casa (Foto: Arquivo pessoal)

Conseguir que escolas, municipais, estaduais e particulares, cumpram as leis para a adequação de crianças com necessidades pode ser torturante para os pais. São diversas as recusas e desculpas, desde não haver vagas para as crianças até a falta de cuidadores em sala, mas os benefícios de incluir os filhos autistas no sistema de ensino são inúmeros.

A teraupeuta Josiane Mariano, mãe de Hector, de 8 anos, encarou diversos problemas para incluir o filho com TEA (Transtorno do Espectro Autista) no ensino fundamental. "Foi bastante tortuoso. Houve uma grande dificuldade em encontrar alguma escola que o aceitasse sem maiores 'poréns'", explicou. A falta de profissionais preparados para receber a criança, a falta de experiência da escola e a falta de vagas foram algumas das recusas que ouviu. "Escutei isso por diversas vezes ao procurar ingresso na escola de ensino fundamental até encontrar uma escola ideal, que nos recebeu de braços abertos".

Hoje, com o filho matriculado em uma escola com ensino inclusivo, Josiane conta que tudo melhorou. "Desde a socialização na escola e em casa, até a autoestima dele e a nossa", conta. De acordo com a terapeuta, Heitor se socializa melhor, toma iniciativa e é acolhido pelos colegas de classe.

"É uma escola onde pela primeira vez conseguimos ter acesso a inclusão, no sentindo real da palavra, com sala de recursos adequada, professor de educação especial que faz orientação dos outros professores e funcionários da escola, que é aberta ao atendimento dos profissionais que o acompanham como a equipe multidisciplinar", contou.

ESTIMULO

Renata Michel, especialista em neuropsicologia e analista do comportamento aplicada ao Autismo do Grupo Conduzir, comenta que o assunto é bastante complexo, visto que estamos falando do ensino no Brasil, que já apresenta grandes dificuldades para o ensino regular, desde pormenores políticos, econômicos e sociais. Por isso, o assunto precisa ser analisado de maneira bem cautelosa buscando e pensando sempre no bem-estar da criança:

"É bom sempre lembrar que assim que uma criança recebe o diagnóstico do TEA, os pais já devem planejar e estudar a melhor forma de inclusão escolar para o filho. Quanto antes esse processo de inclusão iniciar, tanto na escola quanto em outros ambientes, melhor para a família e para a criança. Isso porque a inclusão escolar é de fundamental importância para o desenvolvimento de habilidades de crianças com autismo, independente do espectro /"grau" de autismo e deve seguir as orientações do Analista do Comportamento e Psicopedagogos responsáveis pelo caso." 

ACOLHIMENTO 

Na Diretoria de Ensino Campinas Leste, que atende 80 Escolas Estaduais, 125 Escolas Particulares e 12 Escolas Municipais, distribuídas pelo Município de Campinas, e nos distritos de Barão Geraldo, Sousas, Joaquim Egídio, faz a triagem dos alunos em uma sala especial repleta de jogos, livros e até mesmo algumas guloseimas, assim, as crianças podem se divertir e se distrair, enquanto os pais são recebidos pelos especialistas.

"A briga pela socialização é intensa, já que os pais não gostam de colocar o aluno especial na escola regular. É comum que eles queiram que o filho seja inserido em uma instituição. E nós da equipe da educação especial trilhamos o contrário, porque conviver com as diferenças é o trabalho da educação", explica Nivaldo Vicente, dirigente de ensino do Campinas Leste. "Essa sala em específico é para conhecermos as crianças e os pais. Fazendo os pais entenderem que a criança deve ser aceita e bem recebida em todos os lugares".

Com o trabalho de socialização da criança em todos os espaços, ajuda a sociedade a inserir essa criança em todos os aspectos. "A criança autista e com necessidades especiais ficava muito inclusa na família, hoje ela está mais inserida na sociedade", explicou. "A sociedade ainda não é preparada para uma criança com necessidades especiais, mas aos poucos fazemos o trabalho da importância de ter essa criança junto de todos na sociedade".

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook