Aguarde...

cotidiano

Aluno do Cotuca representa o Brasil em Olimpíada na Coréia

Gustavo Muller Santos é o único brasileiro a representar o país na International Brain Bee, na Coréia do Sul

| ACidadeON Campinas

Gustavo representa Brasil em olimpíada internacional. Foto: Antoninho Perri/Divulgação Unicamp

O aluno do curso técnico em informática do Cotuca (Colégio Técnico da Unicamp) Gustavo Muller Santos é o único brasileiro a representar o país na International Brain Bee, na Coréia do Sul, que começou hoje (19) e segue até a próxima segunda-feira (23).

Ele participa da Olimpíada de Neurociências composta de várias etapas para testar o conhecimento dos estudantes nas áreas de neuroanatomia, neurofisiologia e neuro-histologia. O aluno do Cotuca vai concorrer com outros competidores de mais de 25 países diferentes.  

"A ansiedade é muito grande, assim como a responsabilidade. É um evento de grande importância para os estudantes de Ensino Médio", disse Gustavo, que foi medalhista na competição nacional, dias antes de viajar.

O estudante brasileiro viajou acompanhado de seu principal incentivador, professor Jodir Pereira da Silva, chefe do Departamento de Ciências do Cotuca. "É um nível elevado de competição, mas estamos confiantes", confessou também antes de viajar.  

É a primeira vez que Gustavo Muller participa de uma competição internacional. Isso não quer dizer, no entanto, que já não esteja familiarizado com o ambiente de olimpíadas. Em 2018, ele estreou em uma Olimpíada de Biologia. Ficou entre os 15 melhores competidores. "Eu mal sabia que gostava tanto de olimpíadas", declarou. Este ano investiu na área de neurociências. Passou pela fase regional em meio a 600 participantes. Foi para a disputa estadual e garantiu o segundo lugar e a possibilidade de participar da etapa nacional. "Me esforcei muito e procurei fazer a melhor preparação possível", contou.

ROTINA   

A rotina de estudos de Gustavo é carregada. O aluno estuda, em média, seis horas diárias além do tempo que se dedica às aulas no curso de período integral do Cotuca. "A agenda é puxada e a preparação exige muita concentração. Neste período nada de festas ou lazer", comentou. O curioso em toda história é que o estudante do curso Técnico em Informática tinha uma vocação para a área de exatas, por isso a escolha do curso. Com o passar do tempo, e ao se envolver com o ambiente de olimpíadas, acabou apreciando muito mais a área de Biologia e Neurociências. "A experiência em olimpíada é muito válida, pois possibilita um contato muito maior com as áreas e permite um aprendizado além da sala de aula", assegurou. (Com informações de Raquel do Carmo Santos/Unicamp)


Mais do ACidade ON