Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Alunos surdos ficam sem aula por falta de transporte

A Secretaria de Educação não forneceu o transporte necessário e os alunos estão sem frequentar a escola desde o dia 5 deste mês

| ACidadeON Campinas

Crianças ficaram sem transporte oferecido pela Prefeitura (Foto: Divulgação/PMC) 

Onze alunos surdos da Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Júlio de Mesquita, no bairro São Vicente, em Campinas, não estão frequentando as aulas desde o dia 5 deste mês por falta de transporte.

A Emef é escola polo em educação inclusiva para deficientes auditivos e oferece três tipos de profissionais especializados para a educação, compreensão e comunicação. A unidade atende 436 alunos, nos períodos da manhã e tarde, sendo 52 deles surdos.

Os alunos da cidade são encaminhados para lá, e quem mora distante depende do transporte oferecido pela Secretaria de Educação, o que não vem ocorrendo este ano.

Moradora do Jardim Capivari, Karina tem uma filha de 11 anos matriculada na unidade. Até o ano passado, quando a filha estudava de manhã não havia problema. Mas este ano ela foi para o turno da tarde e não foi disponibilizado transporte.

"As nossas crianças já perderam mais de uma semana de aula. A escola disse que já mandou a rota e os horários, mas a empresa que faz o transporte disse que isso não foi feito", explicou.

Karina disse que espera um solução rápida, porque teme o que pode acontecer com a filha. "Se continuar assim, com 15 dias de falta, as crianças vão ser reprovadas. Além disso, começam o ano já sendo prejudicadas", disse.

NINGUÉM SABE

A dona de casa Juliana Prates da Silva, de 29 anos, moradora do Parque Valença II, contou que foi prometido o transporte, mas ele nunca apareceu desde o primeiro dia de aula.

"O transporte estaria fazendo a linha normalmente e que passariam aqui no meu bairro por volta das 10h45. Arrumei minha filha e por fim não passaram", contou.

Juliana disse que entrou em contato com a escola, que informaram que estava tudo certo, mas nunca houve o funcionamento do serviço.

"Desde então eu venho ligando na Prefeitura, na escola e na empresa de transporte, mas a resposta é sempre a mesma: não tem nada para informar e temos que aguardar", disse.

OUTRO LADO


A Secretaria de Educação informou que os alunos voltaram a ser atendidos na segunda-feira (17). De acordo com a pasta, por conta de uma falha no sistema, o nome destes estudantes não foi computado na lista de transporte. Todos eles terão os 200 dias letivos garantidos. As aulas serão repostas.

Mais do ACidade ON