Aguarde...

cotidiano

Focos de incêndio crescem 7 vezes nos últimos dois meses

Balanço da Defesa Civil mostrou que incêndios na cidade aumentaram entre maio e junho deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado

| ACidadeON Campinas

Queimadas aumentaram em Campinas neste ano (Foto: Denny Cesare/Código19/Arquivo) 

Os focos de incêndio em Campinas aumentaram em sete vezes no período de 1º de maio a 28 de junho deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado, segundo a Defesa Civil. Em balanço divulgado nesta terça-feira (30), o órgão informou que foram 74 focos de incêndios nos últimos dois meses, contra 10 no mesmo período de 2019.

Além disso, o número de vistorias preventivas também aumentou - pulando de 87 no ano passado para 335 neste ano, em meio a pandemia de coronavírus. Em Campinas, a nova doença já matou 317 pessoas e infectou 8.286 pessoas.

De acordo com a Defesa, a operação começou no dia 1º de maio e pelos dados históricos, os casos de incêndios tendem a aumentar nos próximos meses que virão: julho, agosto e setembro.

Em 2009, nesses três meses, a Defesa Civil atendeu 132 focos de incêndio: 11 em julho, 54 em agosto e 67 em setembro. No mesmo período foram realizadas 367 vistorias preventivas: 52 em julho, 191 em agosto e 124 em setembro.

ENFRENTAMENTO

"A estiagem e as queimadas estão sendo tratadas como um eixo estratégico no Comitê Municipal de Enfrentamento da Pandemia de Infecção Humana pelo novo Coronavírus (Covid-19) em virtude da complexidade. Em tempo de coronavírus, é necessário reduzir o número de pessoas que buscam atendimento no sistema público de Saúde com problemas respiratórios decorrentes do período do tempo seco", disse o diretor da Defesa Civil, Sidnei Furtado.

Isso porque as queimadas podem causar complicações na saúde e levar moradores ao hospital, já sob pressão com a busca de leitos hospitalares por causa da covid-19. Hoje, Campinas continua com lotação e tem 2 leitos SUS para covid-19.

MULTA E COMO AVISAR

Provocar incêndio ambiental é crime. Poderão ser aplicadas penalidades de advertência e multa, variando de R$ 290,00 a R$ 290 mil, sem prejuízo das medidas de reparação e de compensação dos danos causados. Quando ocorrerem em áreas especialmente protegidas, o valor das multas é dobrado, podendo chegar a R$ 580 mil.

Ao avistar um foco de queimada, o cidadão pode ligar para o 193 e informar a ocorrência ao Corpo de Bombeiros, que acionará os serviços municipais.

Mais do ACidade ON