Aguarde...

cotidiano

Multas por câmeras aumentam 200% em Campinas, diz Emdec

Somente no cruzamento entre a Avenida Francisco Glicério com a Rua Ferreira Penteado, no Centro, foram registradas 1.995 autuações

| ACidadeON Campinas

Avenida Francisco Glicério, no Centro de Campinas. (Foto: Luciano Claudino/Codigo19)
A quantidade de multas registradas pelas câmeras de monitoramento da Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) aumentou cerca de 200% durante o primeiro semestre de 2020. 

Um balanço divulgado pela empresa mostra que nos seis primeiros meses do ano passado haviam sido registradas 710 multas. Já nos seis primeiros meses de 2020 a quantidade mais que dobrou, indo para 2.101, o que corresponde a um aumento de 195,9%. 

A infração de trânsito mais cometida pelos motoristas de janeiro a junho, em Campinas, é a conversão proibida no cruzamento da Avenida Francisco Glicério com a Rua Ferreira Penteado, no Centro.  

Somente no local, foram registradas 1.995 autuações, que representa 95% do total de multas aplicadas nesse período. A equipe de reportagem da EPTV Campinas esteve no cruzamento e flagrou várias imprudências, inclusive por um carro da Prefeitura.  

Ainda no cruzamento, outro veículo foi visto parado em cima de uma faixa de pedestre, ocupando parte da faixa de ônibus da avenida, enquanto uma mulher com o bebê no colo tentava atravessar a rua.  

Minutos depois, um motociclista também realizou a conversão proibida e ainda furou o sinal. Mesmo com agentes da Emdec acompanhando uma obra no cruzamento, outro motorista, dessa vez de um caminhão, tenta virar irregularmente na rua.  

Há pelos menos duas placas de sinalização no local, que orienta que a conversão ali é proibida. A infração é considerada grave pelo Código de Trânsito Brasileiro e a multa é de R$ 195,23, além de punição com cinco pontos na carteira de habilitação.  

"Eu vejo direto, o pessoal vira ali na faixa e não pode. As pessoas não respeitam e correm o risco de atropelar os pedestres", relatou um morador.  

CONSELHO DE TRÂNSITO 

De março para abril, a quantidade de multas no local aumentou quase quatro vezes, indo de 292 a 952. Nesse mesmo tempo, o Conselho de Trânsito deixou de enviar por tempo indeterminado as notificações de multa aos motoristas. 

A suspensão começou a valer em 20 de março, mas para o secretário municipal de transportes, Carlos José Barreiro, o crescimento de multas não tem relação com a medida do conselho, mas sim com a falta de atenção dos motoristas às regras de trânsito. 

"Acho que redução do movimento de veículos nas ruas fez com que houvesse aquela sensação de que eu posso fazer qualquer coisa porque não estou sendo vigiado ou monitorado. Então isso fez com que houvesse um aumento nas infrações cometidas e capturas por videomonitoramento", comentou. 

Com relação ao carro com o adesivo da Prefeitura de Campinas que foi flagrado realizando a conversão proibida, a secretaria de transporte disse que irá apurar o que aconteceu e tomar as medidas necessárias. 

Já sobre o envio de multas, o Detran-SP reforçou que o serviço está suspenso por tempo indeterminado e as multas estão sendo incluídas apenas no sistema. O órgão ressaltou que os motoristas não serão prejudicados em casos de pedidos de revisão ou recursos.

Mais do ACidade ON