cotidiano

Especial coronavirus

Mesmo com quarentena circulação de pessoas aumenta no Centro

A reportagem do ACidade ON passou pelas principais vias do Centro no começo da tarde de hoje (8) e flagrou muitas pessoas nas ruas

| ACidadeON Campinas -

Movimento de pessoas na Rua 13 de Maio em plena quarentena. (Foto: Luciano Claudino/Código 19)

Mesmo com a orientação de evitar aglomerações imposta pela quarentena em Campinas, para tentar impedir a propagação do coronavírus, muita gente tem circulado principalmente na região central da cidade.  

A reportagem do ACidade ON passou pelas principais vias do Centro no começo da tarde de hoje (8) e flagrou muitas pessoas nas ruas e também paradas nos pontos de ônibus. 

Nesta quarta (8), o prefeito Jonas Donizette (PSB) disse que vai multar comércios não essenciais que abrirem suas portas durante a quarentena e voltou a falar da importância de ficar em casa para evitar o aumento nos casos (leia mais aqui)

Apesar do comércio estar fechado, funcionam estabelecimentos que trabalham com produtos essenciais como farmácias e alimentos. Hoje a tarde muita gente estava circulando pelo principal corredor de compras popular, a Rua 13 de Maio mesmo com as lojas fechadas. A Prefeitura confirmou hoje que vai seguir a quarentena do Estado que vai até o próximo dia 22 (leia mais aqui)
 
LEIA TAMBÉM 
Confira as últimas notícias sobre o coronavírus em Campinas e na região
 

Também foi constatado um grande volume de pessoas na Avenida Francisco Glicério. Na avenida, muitas pessoas estavam aglomeradas em pontos de ônibus. Outro ponto com bastante pessoas ocorreu em frente os Correios. Lá, uma fila se formou e dobrou a esquina na Rua Ferreira Penteado. Entre as pessoas que circulavam havia muitos idosos, a maior parte sem nenhum tipo de proteção como máscaras ou luvas.  



Também foi registrado aglomeração no Mercadão Municipal já que estamos na Semana Santa e muitos consumidores vão até o local em busca de peixes e pescados (veja aqui).

Vale lembrar que a quarentena é uma medida recomendada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) para evitar a disseminação do novo coronavírus. Desde o dia 23 de março, apenas serviços essenciais (estabelecimentos de saúde e alimentação, por exemplo) estão autorizados a funcionar em Campinas. A Prefeitura pede que as pessoas que podem fiquem em casa para não aumentar o risco da propagação do vírus. 

Ainda na tarde de hoje a Prefeitura de Campinas confirmou a quinta morte pela covid-19 na cidade. Ao todo são 85 casos confirmados com 18 pessoas em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e outros 956 casos suspeitos em investigação.

Publicidade