Aguarde...

cotidiano

Hospital de Campanha deve começar a funcionar dia 15 de maio

Prefeitura de Campinas informou que montagem foi finalizada e hospital deve ser entregue nesta quarta-feira (6)

| ACidadeON Campinas

Hospital de Campanha foi montado no ginásio dos Patrulheiros, no bairro Parque Itália (Foto: Carlos Bassan/PMC) 

A Prefeitura de Campinas anunciou nesta terça-feira (5) que pretende operacionalizar o hospital de campanha do município para combater o novo coronavírus a partir do dia 15 deste mês. A estrutura foi montada no ginásio dos Patrulheiros, no bairro Parque Itália, e terá 54 leitos para os pacientes com covid-19.

Segundo o prefeito Jonas Donizette (PSB), a "chave" do hospital será entregue amanhã à Prefeitura. Com isso, espera-se que em 10 dias comece a operação, que será custeada pela Prefeitura. Já a montagem foi feita de forma gratuita pela ONG Expedicionários. O espaço foi cedido também sem cobrança de aluguel.

O valor, segundo Jonas, para montar um hospital como este seria de R$ 7 milhões. "Vamos custear toda a operação. Isso seria feito pela Unicamp, mas foi negado. Mas eu disse que a Prefeitura assumiria", disse o prefeito.

O secretário de saúde de Campinas, Carmino de Souza, disse que a estrutura ficou "muito boa" e oque s envelopes para a parceria na gestão serão abertos amanhã. "Vai dar até dó de desmanchar depois. E a ideia é começar a colocar para funcionar no dia 15", disse ele.   

LEIA TAMBÉM
Jovem de 20 anos morre de covid-19 em Campinas; óbitos são 25
Coronavírus: passageiros voltam a reclamar de superlotação em ônibus
Jonas vai restringir circulação de veículos para aumentar taxa de isolamento
Covid-19: Campinas conta com 19 mil testes rápidos

Ainda no dia 29, a Prefeitura publicou no Diário Oficial o chamamento para o pregão público da Rede Mário Gatti que escolherá a entidade responsável pela operação, paga pela Prefeitura.

O valor do certame é de pouco mais de R$ 5,2 milhões pelo período de 60 dias. O valor ainda pode ser ampliado caso haja a necessidade de ampliação de leitos no local. A capacidade máxima chegará a 114 leitos.

A unidade funcionará como retaguarda para os hospitais Mário Gatti e Ouro Verde. Vale lembrar que o atendimento no local funcionará somente a pacientes encaminhados pela Central de Regulação. Não serão atendidas demandas espontâneas.

Mais do ACidade ON