cotidiano

Especial coronavirus

Unicamp permite volta gradual das atividades presenciais

Universidade de Campinas permitiu presença de 20% dos servidores, em rodízio, para atividades administrativas; entenda

| ACidadeON Campinas -

Vista área do campus da Unicamp (Foto: Divulgação/Unicamp)
Na terceira semana da fase de transição do Plano São Paulo, a Unicamp, em Campinas, decidiu permitir a volta gradual das atividades presenciais do setor administrativo. De acordo com a resolução divulgada ontem (3), a retomada presencial será permitida para 20% dos servidores, em formato de rodízio, para o trabalho da administração central da universidade.

Desde o começo da pandemia de covid-19, a Unicamp suspendeu as aulas no campi e também adotou o teletrabalho (home-office). Com o arrefecimento da pandemia, no dia 18 de março a universidade adotou - assim como Campinas - o toque de recolher noturno, das 20h às 5h, e proibiu passeios no campus.

Desde então, está restrita circulação dos ônibus circulares internos do campus Zeferino Vaz e também fretados, com ocupação máxima de 50% dos assentos. Aos finais de semana, os campi também ficam fechados para atividades não essenciais.

Já o RU (Restaurante Universitário), conhecido como bandejão, funcionará até as 19h e atenderá apenas a área da saúde, pessoas envolvidas na testagem para covid-19, estudantes bolsistas, e servidores em atividade presencial. Não serão cadastrados novos usuários fora destes grupos, informou a Unicamp. 

MEDIDAS SEVERAS

Essas medidas mais severas foram adotadas durante a fase emergencial do Plano São Paulo, por conta do aumento de casos e internações de coronavírus em Campinas e estão mantidas até o momento. Em março, foram registradas 612 óbitos de covid desde o começo da pandemia - o mês é o mais letal de todos na cidade. Já mês passado ficou em 3º lugar entre todos os registros (leia mais aqui).

No decreto que foi publicado nesta terça-feira (2) no Diário Oficial do Estado, a Unicamp explica que a medida de retomada administrativa foi um adendo à determinação de março, e tem o objetivo de "minimizar a transmissão e disseminação da covid-19 no campis da Unicamp".

Mais notícias


Publicidade