Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Polícia Civil fecha plantão do 5º DP, no Jardim Amazonas

A justificativa foi o movimento baixo da unidade no período. Moradores terão que buscar atendimento no 1º DP; entidade critica

| ACidadeON Campinas

Fachada da unidade que fica no Jardim Amazonas. Foto: Denny Cesare/Código 19

O plantão do 5º Distrito Policial, localizado no Jardim Amazonas, em Campinas, foi desativado pela Policia Civil. A unidade que funcionava até a meia-noite para registros de boletim de ocorrência, sem flagrantes, agora passa a funcionar em horário comercial,  até as 18h.

Moradores do entorno da região onde a delegacia atua agora devem procurar o 1º Distrito Policial, no bairro Botafogo, para o registro de boletins comuns no período noturno, ou fazer o registro por meio da delegacia eletrônica (clique aqui).

Com a mudança, Campinas tem agora quatro unidades da Polícia Civil funcionando 24 horas: o 1º DP, no Botafogo; o 4º DP, no Taquaral (que funciona apenas para o registro de ocorrências comuns, ou seja, com o atendimento de ocorrências que não envolvem presos); o 9º DP, no Jardim Aeroporto (que segue a mesma linha do 4º DP) e a 2ª Delegacia Seccional, no Jardim Londres. O 1º DP e a 2ª Seccional funcionam como centrais de flagrantes, com ocorrências que envolvem prisões.

Segundo a Polícia Civil, o fechamento ocorreu porque o movimento na unidade do Jardim Amazonas era muito pequeno. "Os boletins de ocorrência registrados na delegacia eram 90% feitos até a meia-noite, e tínhamos uma pessoa que virava lá, e que acabava ficando ociosa", explicou o delegado da 1ª Delegacia Seccional, Roberto José Daher. 

Ele afirmou que foi feito um estudo sobre o atendimento na unidade antes de decidir pela ação. "Foi uma otimização de recursos na unidade. O 1º DP está precisando de mais gente para trabalhar porque a demanda no local é intensa", disse. Três funcionários que se revezavam no esquema de plantão no 5º passaram para prestar atendimento no 1º DP, que por noite tem uma média de 30 boletins de ocorrência registrados.

"Se tivesse um movimento que justificasse a permanência da delegacia aberta, ela continuaria. Fizemos esse estudo e vimos também os tipos de BOs registrados, e com certeza a população local não será prejudicada. No 4º DP, por exemplo, o funcionamento é justificado porque o número de registro chega a ser de três a quatro vezes maior", disse.  
 
CRÍTICAS 
 
A medida foi criticada pelo presidente do Sinpol Campinas (Sindicato dos Policiais Civis da Região de Campinas), Aparecido Lima de Carvalho (Kiko). "A verdade é que fechou porque não tem gente para trabalhar nos plantões. Para resolver, fecham", afirmou Aparecido. Ele disse que a falta de policiais civis é considerada extremamente grave. No Estado passa de 13 mil, em Campinas o déficit chega a 200.

"Tudo vem piorando de uma década para cá. Hoje aposentam mais policiais do que entram. Existe um abertura de concurso com 2 mil vagas para o Estado, o que já não vai suprir", disse. Ele continuou: "A noite não tem mais nada aberto, é complicado porque limita a instituição de prestar serviço. Já mandamos ofício ao governador pedindo providências, mas fomos ignorados", disse.

Para ele, o maior prejudicado com o fechamento do DP é a própria população. "O fechamento é negativo, primeiro porque dificulta  população daquela área ter acesso a polícia, ela terá que se deslocar até o Centro. Segundo, porque obviamente as unidade espalhadas pelas regiões facilitam o trabalho da Polícia Militar a retornar para a rua depois das ocorrências. Agora, vai concentrar muito mais trabalho nas seccionais que funcionam com centrais de flagrante, o trabalho será mais moroso", explicou.  
 
A dona de casa América Jesus disse que se sentia mais segura com a unidade aberta no período da noite. "Desde que vim morar no bairro a delegacia sempre funcionou e a sensação de segurança é maior quando vemos uma movimentação de polícia e luzes, espero que não mude em relação a segurança", disse.

PROTESTO
 
A entidade convocou para a tarde desta segunda-feira policiais civis a participarem de atos contra a Reforma da Previdência. "Perderemos todos os direitos conquistados há décadas, chegando a atingir até mesmo nossos familiares, visto que entre as perdas está o corte da pensão em 50% caso viermos a faltar; nossos familiares poderão passar seríssimas necessidades financeiras", explicou Aparecido. Os atos devem acontecer em frente ao 1º DP Campinas às 14h e também em frente a 2ª Delegacia Seccional, às 16h. O ato será nacional.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON