Aguarde...

cotidiano

Câmara avalia pagar vale-refeição para comissionados

Na Câmara de Campinas trabalham 235 comissionados, o que vai gerar um impacto de R$ 3,6 milhões por ano nos gastos da folha de pagamento

| ACidadeON Campinas

Bernardelli afirmou que a proposta está em estudo (Foto: Divulgação/Câmara) 

O presidente da Câmara de Campinas, Marcos Bernardelli (PSDB), está negociando para ampliar o vale-refeição para os servidores da casa. Atualmente somente servidores concursados têm direito ao benefício, que gira em torno de R$ 1,3 mil. Servidores comissionados não têm esse direito.

Bernardelli avalia congelar os salários dos comissionados pelos próximos dois anos (que também é o período em que ficará como presidente da Casa) em troca de ampliar o benefício - dessa forma, o impacto financeiro da medida seria menor.

Segundo o Portal da Transparência, a Câmara, entre gabinetes e presidência, possui 235 comissionados - um impacto de R$ 3,6 milhões por ano.

Oficialmente, Bernardelli diz que a proposta é apenas uma das que foi encaminhada para sua análise depois que ele assumiu a presidência, e que ela ainda será avaliada.

A reportagem do ACidade ON apurou, no entanto, que o acordo já seria certo. O sindicato passou de gabinete em gabinete explicando a situação, e teve o aval da maioria dos servidores comissionados.

Os assessores deixaram de ter o benefício no início dos anos 2000, quando houve uma denúncia de uso irregular do vale-refeição. Alguns parlamentares, em vez de entregarem os vales para os comissionados, detinham o benefício e usavam para fins particulares. 

POSIÇÃO OFICIAL 

Em nota, a Câmara informou que o vale-alimentação para os servidores comissionados faz parte da pauta de negociações do dissídio da categoria, que está sendo discutida com o Sindicato dos Servidores. "De parte da Câmara, o que temos é um estudo que está sendo realizado justamente para embasar a posição da Casa nestas discussões - o dissídio dos servidores ocorre em março", diz a nota.

Mais do ACidade ON