cotidiano

São Paulo terá 'Domingão da Vacinação' de covid e gripe

Idosos acima de 80 anos poderão receber antes a dose de imunizante contra a Influenza

| ACidadeON Campinas -

Vacinação em São Paulo (Foto: Governo do Estado de São Paulo)


O governo estadual de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (23) o Domingão da Vacinação para este domingo (27).

Segundo a gestão Doria, as unidades de saúde de todo o estado estarão abertas para a imunização das crianças, além da aplicação da terceira e quarta dose contra a covid-19.

Com a antecipação da campanha de vacinação contra a gripe, os idosos acima de 80 anos também poderão receber a dose de imunizante contra a Influenza.

COVID

No estado, 75% do público infantil já tomou a primeira dose, porém apenas 34% recebeu as duas doses e completou a imunização, sendo que cerca de 800 mil crianças já poderiam ter recebido a segunda dose.

Uma pesquisa da Fundação Seade apontou que 34% dos pais e responsáveis afirmaram que não levaram os filhos para vacinar por falta de tempo.

DOSES DE REFORÇO

No domingo também poderão se vacinar quem ainda não recebeu a terceira dose da vacinação, além dos idosos acima de 80 anos que já estão aptos para receber a quarta dose.

A ação ocorre em parceria com os 645 municípios, portanto as mais de 5 mil unidades básicas de saúde estarão abertas para atender a toda a população (consulte a programação do seu município).

VACINA DA GRIPE

O governador João Doria (PSDB) também anunciou a antecipação em uma semana da campanha de vacinação contra a gripe.

Os idosos acima dos 80 anos poderão receber a vacina contra a Influenza já a partir deste domingo (27) durante o Domingão da Vacinação. Os idosos acima de 80 anos que forem aos postos receber a quarta dose da vacina contra a COVID-19, poderão receber simultaneamente a vacina contra a gripe.

Nesta semana, o Instituto Butantan entregou as doses da vacina contra a gripe para São Paulo, o que permitiu a antecipação em uma semana da campanha estadual. A vacina contra a influenza é trivalente, composta pelos vírus H1N1, a cepa B e o H3N2, do subtipo Darwin, que causou os surtos localizados no final do ano passado.

Publicidade