cotidiano

5ª dose: veja quem pode tomar reforço da vacina contra a covid

Cidades da região de Campinas começaram nesta semana a aplicar 5ª dose do imunizante; infectologita explica importância de reforço

| ACidadeON Campinas -

Vacina contra a covid-19 sendo aplicada (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)

Cidades da região de Campinas começaram a aplicar nesta semana a 5ª dose de reforço da vacina contra a covid-19. Entre os municípios que já confirmaram a aplicação, estão: Americana, Campinas, Hortolândia, Santa Bárbara d'Oeste e Sumaré.

Para tirar as dúvidas em relação a terceira dose de reforço, o acidade on Campinas explica como funciona a imunização.

QUAL O PÚBLICO ALVO?

Segundo as secretarias de saúde, o público-alvo é:

- pessoas a partir de 60 anos com imunossupressão grave

O QUE PRECISA?

Para ser vacinada, a pessoa precisa ter recebido a quarta dose, ou segunda dose adicional, há pelo menos quatro meses.

QUANDO COMEÇOU E COMO TOMAR

Em Santa Bárbara, a vacinação da 5ª dose começou nesta quinta-feira (2). Em Campinas, Hortolândia e Sumaré as vacinas começaram a ser disponibilizadas ontem (1º) para este grupo. Já em Americana, a aplicação começou na terça-feira (31).

Em nenhuma das cidades é preciso agendar a vacinação. Mas é importante levar um comprovante das outras doses e um laudo médico que comprove a condição de saúde.

EM CAMPINAS

Em Campinas, a aplicação das doses ocorre sem agendamento em 65 centros de saúde, com exceção dos Centros de Saúde Joaquim Egídio e Boa Esperança.

Para receber a dose, é necessário apresentar documento com foto, a carteira de vacinação, caso tenha, e comprovação médica da imunossupressão. Os horários das salas de vacina dos centros de saúde podem consultados no site.

A cidade disponibiliza ainda um modelo e o que pode ser considerado imunossupressão grave: Indicação de Dose Adicional Pessoas com Alto Grau de Imunossupressão (clique aqui). 

A infectologista da Unicamp e consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia, Raquel Stucchi (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)
IMPORTÂNCIA

Para a infectologista da Unicamp e consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia, Raquel Stucchi, é importante esse reforço na vacinação em um cenário de aumento de casos.

"De uma maneira geral, em uma pessoa saudável, abaixo de 60 anos, nós temos 90%, às vezes 100% de proteção. Já no imunossuprimido, conforme a vacina, isso cai para 60% a 40% de proteção. 'Não devo me vacinar?', sim, deve, porque 40% é melhor que nada", explicou ela.

Ainda segundo Raquel, o imunossuprimido que não completou nem a 3ª ou 4ª dose, deve atualizar agora, pois há um calendário vasto para ser feito. "Aproveito para falar ainda que estamos diante de um aumento do número de casos", disse.

NO ESTADO


A SES (secretaria do Estado de Saúde) afirmou ontem (1º) que o estado iniciou a aplicação da terceira dose de reforço contra a covid-19 na última segunda-feira (30). A dose é aplicada em pessoas imunossuprimidas acima de 60 anos, conforme definições do Ministério da Saúde.

Em nota, a secretaria reiterou a importância da conclusão do esquema vacinal para garantir a proteção contra a covid-19, com pelo menos duas doses.

De acordo com a pasta, cerca de 87,8% da população do estado está imunizada com duas doses. Além disso, os municípios de São Paulo já aplicaram mais de 111 milhões de doses de vacina.

Publicidade