Aguarde...

ACidadeON Campinas

docon

Com 90% das obras concluídas ponte estaiada já muda cenário

A estrutura de 118 metros de comprimento e quase 13 metros de largura faz parte do complexo do BRT, e já se transformou no novo cartão postal da cidade

| Especial para ACidade ON

Viaduto está quase pronto na região do Botafogo em Campinas. Foto: Denny Cesare/Código 19

A paisagem da região dos bairros Botafogo e Vila Industrial, em Campinas, está diferente. Acima da linha dos prédios e casas, um viaduto estaiado chama a atenção de pedestres e motoristas que trafegam pelo local. Muito similar à Ponte Octávio Frias de Oliveira, a Ponte Estaiada, que passa sobre o Rio Pinheiros e fica na capital paulista. A estrutura de 118 metros de comprimento e quase 13 metros de largura faz parte do complexo do BRT (Bus Rapid Transit), e já se transformou no novo cartão postal da cidade.  

O viaduto de concreto armado passa sobre a Avenida Barão de Itapura e sobre alça de saída dos terminais Rodoviário e Metropolitano. Tem 40 metros de altura total, do chão até o final do mastro principal, com 36 cabos, chamados de estais, conectados. à noite, será possível ver a iluminação em LED do viaduto.    


Viaduto estaiado já mudou cenário do Botafogo em Campinas. Foto: Denny Cesare/Código 19

Com duas faixas de rolamento e calçadas dos dois lados, a obra está 90% concluída e faz parte da Estação Rodoviária, no Corredor BRT Campo Grande. No local, estão em construção outros dois viadutos e mais três estações.  



VISÃO JÁ AGRADA
 
Quem passa diariamente pela região já está empolgado com o novo visual. Os moradores e trabalhadores que passam próximo a construção disseram que o viaduto deixou a paisagem mais bonita.  "Eu sou ambulante aqui e vi eles construindo aos poucos. No começo não sabia que ia ficar assim, mas achei que ficou bonito demais", disse vendedor Givanildo Costa, de 37 anos.

A estudante Juliana Costa, de 19 anos, moradora da Vila Itapura, disse que já fez várias fotos do viaduto. "Quando ficar pronto, deve ser um local bacana pra ver o pôr do sol", falou.    

SAÍDA TÉCNICA

O arquiteto Fábio Muzetti, diretor da Faculdade de Arquitetura da PUC-Campinas, diz que a ponte estaiada é uma alternativa técnica para evitar que a parte interna da estrutura tenha pilares - que se transformam em obstáculos na via inferior. "Essa opção sempre existiu, mas ultimamente ficou mais viável pelo aprimoramento da indústria da construção civil. É mais caro, mas às vezes é necessário para evitar bloqueios na parte que fica abaixo da ponte", diz. 

Muzetti também afirmou que há ainda o benefício estético. "Dá um ar de modernidade, além de criar uma nova referência visual", explica.

BRT
 
As obras do BRT de Campinas estão 40% concluídas, com mais de 76% da pavimentação dos corredores. As estações estão na fase de acabamento e 16 pontes de viadutos estão em construção.  

O complexo viário envolve a construção de três corredores BRT Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral. Serão 36,6 quilômetros de corredores, 18 pontes e viadutos, 37 estações e seis terminais. Com custo total de R$ 451,5 milhões, a entrega da obra está prevista para julho de 2020.  

Pelos corredores exclusivos, com espaços para ultrapassagens, irão circular ônibus articulados com ar condicionado. O embarque será em nível e o pagamento desembarcado.   



Nos últimos seis meses, quatro trechos do BRT foram liberados para a circulação do tráfego, totalizando quase 10 km. Em setembro, foi aberto para circulação um trecho de 1,8 km na Avenida das Amoreiras, entre o viaduto da Rodovia Anhanguera e o futuro Terminal BRT Campos Elíseos, após a Vila Rica. O trecho de 4,25 km do Corredor BRT Campo Grande, na Avenida John Boyd Dunlop, entre o viaduto da Rodovia dos Bandeirantes (Jardim Ipaussurama) até o viaduto da linha férrea (Jardim Florence), foi aberto em agosto.  

Já em junho, foi liberado para circulação um trecho de 1,8 km do Corredor BRT Ouro Verde, nas Avenidas Ruy Rodriguez e Camucim, desde o Spazio Ouro Verde até a Avenida Aglaia. Os novos acessos viários entre o Parque Industrial e o Jardim Miranda, em trecho de cerca de 1 km ficaram prontos em maio. A região, por onde passa o BRT Perimetral, é um elo entre as avenidas John Boyd Dunlop e Amoreiras.  

Com as liberações, as faixas exclusivas do BRT começaram a ser utilizadas pelos ônibus do atual sistema de transporte público coletivo, servindo quase 180 mil passageiros.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso. Para mais informações, consulte nosso TERMO DE USO"

Facebook

Mais do ACidade ON