Aguarde...

Esportes

Vadão é enterrado após cerimônia reservada à família

Vadão foi enterrado na manhã desta terça-feira, em Monte Azul Paulista, cidade natal no comandante

| ACidadeON Campinas

Vadão morreu após complicações de um câncer no fígado (Foto: Divulgação/CBF) 

O técnico Vadão foi enterrado, na manhã desta terça-feira (26), após uma curta cerimônia realizada apenas para familiares em Monte Azul Paulista, cidade natal no comandante.  
 
LEIA MAIS 
Guarani e Ponte lamentam morte do técnico Vadão


O velório começou às 8h e foi restrito à família e alguns amigos próximos, devido aos protocolos de segurança por causa da pandemia do novo coronavírus.

O treinador estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, para tratamento de um câncer no fígado, e morreu no começo da tarde de segunda-feira.

O último trabalho de Vadão como técnico foi com a seleção brasileira de futebol feminino. Ele acabou demitido depois da eliminação para a França, nas oitavas de final na Copa do Mundo de 2019.  
 
"MISTER DÉRBI"

Identificado com os dois times de Campinas, Vadão é conhecido na cidade como "Mister Dérbi" por nunca ter perdido um clássico na cidade. A invencibilidade é de nove jogos, com cinco vitórias (quatro pelo Guarani e uma pela Ponte) e quatro empates (três pela Ponte e um pelo Guarani).

A carreira de Vadão também começou no interior paulista. Foi com o Carrossel Caipira no Mogi Mirim com Rivaldo, Leto e Válber que o treinador ganhou visibilidade nacional no início da década de 90.

Pelo Guarani, Vadão possui cinco passagens, sendo as mais expressivas em 2009, quando assumiu a equipe bugrina após o estadual visando à Série B.

Na competição nacional o treinador conseguiu uma grande campanha, com 21 vitórias em 38 rodadas de campeonato, sendo vice-campeão. A segunda passagem expressiva de Vadão pelo clube foi em 2012, quando montou uma grande equipe que disputou em alto estilo o Paulistão de 2012, sendo vice-campeão: o Guarani derrotou o Palmeiras por 3 a 2 nas quartas de final, ganhou do seu maior rival, a Ponte Preta, por 3 a 1, na semifinal, e perdeu para o Santos na final.

Na Ponte Preta, Vadão também obteve êxito, mesmo com quatro passagens. A mais recente passagem dele pelo clube campineiro foi em 2014, quando transformou a equipe que lutava contra o rebaixamento em uma equipe que ele levou até as quartas de final. Esses bom trabalhos renderam a ele um convite para comandar a Seleção Brasileira Feminina.

Vadão também passou por outros diversos clubes brasileiros, como Vitória (BA), São Caetano, Criciúma, Athletico, Bahia, Portuguesa, São Paulo e Corinthians.

Mais do ACidade ON