Aguarde...

Política

Câmara amplia em 30% volume de indicações em ano pré-eleitoral

Pequenas obras em seus redutos ajudam na conquista do voto em 2020

| ACidadeON Campinas

(Foto: Divulgação/Câmara de Campinas) 

Com a cabeça nas eleições e de olho em seus redutos eleitorais, vereadores de Campinas ampliaram os pedidos de ações nos bairros e diminuíram o número de projetos de lei em 2019. O volume de solicitações de pequenos reparos no asfalto, construção de lombadas, iluminação, manutenção e outros serviços públicos subiu 30% em relação a 2018. Já as propostas para criar leis no município, uma das principais atribuições dos legisladores, caiu 5%.

No ano passado, os parlamentares apresentaram 356 projetos de lei ordinária. Este ano, foram 336. Os projetos que mais afetam a população, no entanto, continuam sendo de autoria do Executivo. A maior parte das leis apresentadas na Casa trata de amenidades, como nomes de rua e criação de datas comemorativas.

Já o número de indicações, pedidos para pequenas obras, disparou no Legislativo, num total de 10248. Em ano pré-eleitoral, os vereadores tentaram ampliar suas ações nos bairros com obras que levam seus carimbos, mas que são feitas pela Prefeitura.

Quem integra a base governista tem vantagem e consegue ser atendido quase que imediatamente pelo governo, com as equipes estabelecidas nas Administrações Regionais, que funcionam como um braço dos parlamentares na Câmara.

Em troca, a maioria dos vereadores foi fiel ao prefeito Jonas Donizette (PSB) este ano, que não enfrentou resistência para votar seus principais projetos e também se livrou da cassação na Comissão Processante (CP) instituída na Casa. A CP investigou a participação do chefe do Executivo no Caso Ouro Verde - apuração de denúncias de corrupção, fraudes em licitação e favorecimento no hospital público.

Apesar de ter maioria na Câmara e não encontrar problemas para a sua governabilidade, Jonas também viu crescer o número de pedidos de requerimentos de informação em 2019, com um aumento de 13% em relação ao ano passado.

Esse é um dos instrumentos mais utilizados na Casa por vereadores que não integram a base governista e que cobram do Executivo detalhes sobre contratos, atuação das empresas públicas ou contratações de autarquias não publicadas, ou seja, desempenham com mais afinco uma outra função dos legisladores, que é a de fiscalizar as ações do governo. No total, foram apresentados 3347 requerimentos de informação em 2019. No ano passado, foram 2956 pedidos.

RENOVAÇÃO 


A maioria dos parlamentares deve tentar a reeleição em 2019 e com boas chances de conseguir manter suas cadeiras. Isso porque as pequenas obras realizadas com seus carimbos nos bairros fortalecem as relações com a comunidade e dão mais visibilidade para os que já estão no legislativo. Campinas teve 30% de renovação em sua Câmara em 2016, com 10 novos vereadores na Casa, uma das mais baixas da história. No ano passado, no entanto, o chamado "efeito Bolsonaro", ampliou a renovação no Congresso. O efeito é esperado ainda no pleito municipal no próximo ano, mas depende do sucesso das ações da gestão do presidente Jair Bolsonaro, principalmente na economia e na geração de empregos.

Mais do ACidade ON