Aguarde...

Esse ano votaremos nos

Eleições

Análise: votos nulos são reflexo da falta de representatividade

Segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), 111.587 eleitores decidiram anular os votos e 45.524 votaram em branco no segundo turno

| ACidadeON Campinas

Votos nulos bateram o recorde em Campinas (Foto: Denny Cesare/Código19) 

O grande número de votos nulos bateu o recorde em eleições em Campinas. No domingo (29), na disputa pelo segundo turno, 20,43% anularam o voto, em vez de votar em Dário Saadi (Republicanos), que acabou eleito, ou em Rafa Zimbaldi (PL) seu opositor. Especialistas apontam que existiu uma falta de representatividade dos candidatos junto ao eleitorado.  
 
LEIA MAIS 
Campinas tem o maior número de votos nulos em uma eleição
 
Segundo turno tem recorde de abstenções em Campinas

Segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), 111.587 eleitores decidiram anular os votos. Os que votaram em branco representaram um percentual de 8,34% - 45.524, o que também foi recorde.  

"Eram candidaturas muito diferentes, com propostas distintas, então o posicionamento do eleitorado no segundo turno refletiu exatamente isso", afirmou Vitor Barletta Machado, cientista social e professor da faculdade de ciências sociais da PUC-Campinas.

Até então, a eleição que teve o maior número de votos nulos em um segundo turno foi em 1996, quando 56.445 foram até a seção, mas preferiram não votar em ninguém - um percentual de 12%.

"Penso que as razões desse alto índice visto nas eleições anteriores se repetiram nas eleições de 2020, se deve a um sentimento por parte do eleitorado de que ele não se vê representado por nenhum dos candidatos e, por esta razão, alguns entendem por bem demonstrar ativamente esse sentimento de falta de representatividade. E eles o fazem por meio dos votos brancos e nulos, e os demais, os fazem por meio da omissão e, assim, não comparecem a seção de votação", analisou Valdemir Reis Júnior, professor de direito na Unimetrocamp e presidente Comissão Especial de Direito Eleitoral da OAB Campinas.

ABSTENÇÕES


Além dos brancos e nulos, a cidade também bateu o recorde de abstenções. Na eleição deste domingo, 297.297 campineiros deixaram de votar - um percentual de 35,25%.

No primeiro turno, a cidade também teve recorde de abstenção. Do total de 843,4 mil eleitores, 260.149 não votaram em 2020 - um percentual de 30,84%.

"Por fim, isso refletiu a descrença da política como meio de resolução. No segundo turno, além da descrença, soma também as propostas do candidatos e o posicionamento do eleitor de não reconhecer as propostas como caminho a seguir", finalizou Machado. 
 
Com recorde de votos nulos, Dário diz que quer resgatar eleitores 
 
Após Campinas bater recorde com maior número de votos nulos em eleições, o prefeito eleito Dário Saadi (Republicanos) afirmou que quer "resgatar" os eleitores que optaram por não votar. 
 
"Para aquelas pessoas que não votaram ou votaram nulo, nós teremos que trazê-las de novo para o processo eleitoral. É muito importante resgatar a credibilidade na política em Campinas e no Brasil também" disse o candidato eleito em entrevista à EPTV.

Dário agradeceu aos votos, e afirmou que a prioridade para o mandato será a área da saúde.

"A prioridade é a saúde, não só o atendimento na pandemia, como campinas vem fazendo de forma satisfatória nos últimos meses, mas também o atendimento na saúde em geral, em melhorar o atendimento e continuar vigilante e atendendo bem a população na pandemia", declarou.

Mais do ACidade ON