cotidiano

Especial coronavirus

Covid-19: Campinas tem mais mortes que 15 capitais

Cidade ultrapassou a marca de 1 mil mortes pele coronavírus nesta semana; número é maior que o de municípios mais populosos

| Especial para ACidade ON -

Uso de máscara é obrigatório em Campinas (Foto: Luciano Claudino/Código19)
Mesmo com a queda significativa no número de mortes provocadas pela covid-19, Campinas ainda tem mais óbitos pela doença que 15 capitais de estado do Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde.

Neste domingo (30) Campinas chegou a 1.016 mortes confirmadas, sendo o 11º município brasileiro com mais óbitos causados pela covid-19. A cidade está à frente de 15 capitais, entre elas Curitiba, Belo Horizonte e Porto Alegre, que são mais populosas e que têm 969, 944 e 663 mortes confirmadas, respectivamente.

Embora o número de óbitos seja representativo, ele tem apresentado queda neste mês. Em julho foram 396 mortes registradas pela covid-19 na cidade, ante 250 em agosto, uma queda de 36%.

Mortes por covid-19 por mês em Campinas: 

Março: 5
Abril: 17
Maio: 77
Junho: 285
Julho: 396
Agosto: 250 (até o dia 30)

O MÁXIMO PARA EVITAR

Para a diretora do Devisa (Departamento de Vigilância em Saúde) de Campinas, Andrea Von Zuben, a marca de mil mortes representa uma quantidade de vítimas fatais, que desde o início, houve a intenção de evitar.

"É claro que não é baixo, não gostaríamos que tivéssemos nenhuma morte, mas é uma doença pandêmica, que não tem tratamento e cuja letalidade em outros países chegou a ser mais alta", afirmou, ressaltando que a análise da Vigilância tende a não olhar para o número total, mas sim em fazer análises sobre o que ele representa de acordo com número de habitantes e pessoas contaminadas.

"Não sabemos qual vai ser o número final, pode ser até bem mais que isso, mas não podemos trabalhar olhando para esse número absoluto, olhamos o coeficiente por base populacional. A nossa letalidade olhando em comparação com outras metrópoles é uma das melhores, é uma das mais baixas do Estado em cidades com mais de 1 milhão de habitantes, e olhando para o total populacional, é um coeficiente baixo", declarou.

Mais notícias


Publicidade