cotidiano

Especial coronavirus

Saúde investiga quatro surtos de covid-19 em asilos de Campinas

Surtos são investigados no Lar do Velhinhos e em três unidades da clínica Sênior Vit; entenda caso

| ACidadeON Campinas -

Lar dos Velhinhos, em Campinas (Foto: Divulgação)
*Esta matéria foi atualizada às 16h20 do dia 9 de agosto 

O Devisa (Departamento de Vigilância em Saúde), de Campinas, informou nesta segunda-feira (9) que investiga quatro surtos de covid-19 em duas ILPIs (Instituições de Longa Permanência de Idosos) na cidade.  

No Lar dos Velhinhos, foram 36 casos em moradores e sete em trabalhadores, sendo que dois idosos estão internados e seis morreram. Uma funcionária está internada. Não houve óbitos entre os funcionários. 

Na primeira casa da Sênior Vit, 14 idosos foram infectados e três estão internados. Entre os funcionários, sete adoeceram. Ninguém morreu. Na segunda unidade, sete moradores testaram positivo, sendo que três morreram e três estão internados. Além disso, três funcionários se infectaram. 

Na terceira casa, 12 idosos estão com covid-19. Um morreu e três estão internados. Entre os trabalhadores, quatro adoeceram

De acordo com a Prefeitura, as visitas de parentes nessas unidades investigadas estão suspensas, já nos demais asilos da cidade a visitação permanece autorizada. Segundo a secretaria de Saúde, os casos foram registrados entre julho e agosto.

Vale lembrar que a Prefeitura liberou no último mês as visitas aos idosos moradores de asilos. Isso ocorreu no último dia 29, após quase um ano e meio da suspensão de visitas por causa do risco de contágio do coronavírus. 

OS CASOS 

A confirmação dos casos da doença nos asilos foi divulgada hoje. Ontem (9), a Saúde já havia confirmado que estava investigando um possível surto de covid-19 em duas unidades da clínica Sêrnior Vit, localizada no bairro Nova Campinas. 

De acordo com a Prefeitura, as visitas nas unidades investigadas estão suspensas, já nas demais a visitação permanece autorizada. Entre as recomendações para visitação nesses locais, está o uso permanente de máscaras, de preferência cirúrgica, ficar a mais de 1,5 metro e de preferência ao ar livre. 
 
MEDIDAS 

Segundo a Saúde, após as notificações, a Vigilância esteve nos locais e adotou todas as providências preconizadas, como busca ativa de infectados, avaliação dos processos de trabalho, orientações de medidas, como isolamento de sintomáticos, além de testes em todos os funcionários e moradores, com ou sem sintomas. 

"As ILPIs são acompanhadas diariamente pela Vigilância em Saúde, em parceria com os centros de saúde de referência dos bairros", disse em nota. 

Segundo a Vigilância, a causa das mortes das pessoas está sendo investigada para que se esclareça se foram mesmo por covid-19, uma vez que todos moradores tinham outras doenças. A Prefeitura disse também que os pacientes destes casos já estavam em cuidados paliativos.

Publicidade