Publicidade

cotidiano

Campinas precisa vacinar 30 mil crianças contra pólio em 7 dias

Prefeitura fez apelo para a adesão em meio à baixa cobertura vacinal

| ACidadeON Campinas -

Campanha de vacinação vai até a próxima sexta-feira (13). (Foto: Divulgação/Prefeitura de Campinas)

A Prefeitura de Campinas informou hoje (6), que a cidade precisa vacinar até a próxima sexta-feira (13) cerca de 30 mil crianças contra a poliomielite para atingir a meta cobertura vacinal.  

A campanha contra a pólio começou no dia 5 de outubro, com o objetivo de alcançar 95% das 58.803 crianças de 1 a 4 anos. Em um mês, segundo o balanço divulgado ontem (5), foram aplicadas apenas 25.798 doses da vacina, o que corresponde a uma cobertura de 44% da vacina oral, que é feita através da "gotinha".

A vacina da poliomielite previne contra a paralisia infantil, doença que pode afetar tanto crianças quanto adultos. Em meio a baixa adesão da campanha vacinal, o prefeito e o secretário de Saúde de Campinas fizeram um apelo nesta sexta-feira (6) durante uma transmissão nas redes sociais, para que pais e familiares levem as crianças para tomarem a vacina.

"Esse apelo que fazemos é muito importante, é uma questão muito séria. O Brasil já erradicou a doença mas ela não está erradicada no mundo, vemos casos de países avançados que têm tido casos de paralisia infantil. Alguns anos atrás detectamos o vírus da pólio aqui, estamos vigilantes em relação a isso, e para que a vacina proteja a população é preciso uma proteção coletiva, que todas as crianças tomem" afirmou o secretário Carmino de Souza.

O prefeito Jonas Donizette (PSB) reforçou o pedido. ""Não adianta só uma parte se vacinar e outra não, tem que ter imunização comunitária. Papais e mamães, não deixem de levar seu filho, não existe dia específico nem hora, pode levar a qualquer momento no posto e fazer a vacinação", afirmou.

As doses estão disponíveis nos 66 centros de saúde da cidade. Os endereços e horários das salas de vacina podem ser consultados no site da Prefeitura.

A vacinação da poliomielite acontece em meio a um ano em que a cidade não atingiu a meta de nenhuma das principais vacinas indicadas às crianças até os primeiros 12 meses de vida.  Com parte da baixa adesão também ligada aos questionamentos e declarações dos movimentos antivacina, O ACidade ON conversou com um especialista sobre o assunto para responder as maiores dúvidas da população. Veja no vídeo abaixo:  





Mais notícias


Publicidade