Publicidade

cotidiano

Pandemia faz abandono de animais crescer até 60% em Campinas

Porcentagem foi repassada por duas ONGs que atuam no município; desemprego fez abandono subir e ajudas caírem

| ACidadeON Campinas -

Cães resgatados por ONG. (Foto: Divulgação)
Uma sacola de ração para seis cães famintos. Até parece trava-línguas, mas essa é a descrição de uma cena flagrada por um dos membros da ONG Amor de Bicho de Campinas (assista ao vídeo abaixo). Os cães fazem parte das dezenas de animais que são abandonados mensalmente nas ruas da cidade e que, com a pandemia, tiveram um aumento de até 60%.

A porcentagem foi repassada ao ACidade ON Campinas por duas ONGs que atuam no município: a Amor de Bicho e a OperaCão Resgate. As crises financeiras enfrentadas por muitas famílias durante a pandemia talvez expliquem esse aumento expressivo, segundo Ana Carolina Pimenta, presidente do Amor de Bicho.

"As pessoas não se conscientizam de que tem que castrar esses animais. Está um verdadeiro caos. O que estava ruim ficou ainda pior, porque as pessoas estão sem emprego e estão abandonando seus cães. Recebemos pedidos de pessoas que vão se mudar e que perguntam se não pegamos seu cachorro", contou Ana.

Ela acrescenta que as solicitações também partem de donos de animais doentes, e que não conseguem arcar com os gastos de consultas veterinárias e remédios necessários para o tratamento. Atualmente, a instituição abriga aproximadamente 140 animais, entre cães e gatos. 

Cães a espera de um lar. (Foto: Divulgação)

ABANDONOS CRESCEM, AJUDAS CAEM

Antes da pandemia, a ONG Amor de Bicho resgatava em média 30 animais por mês. Desde o ano passado, quando a doença impactou os índices de empregabilidade do país, a média de resgates subiu para 45, um aumento de 50%.

Na OperaCão Resgate a situação é semelhante. Eles recebem cerca de 40 pedidos de ajuda por dia, sendo que metade é por abandono e a outra metade são porque os donos não cuidam, seja por falta de dinheiro ou por descaso.

Com a pandemia, a ONG registrou um aumento de 60% na quantidade de animais abandonados, e atualmente eles abrigam 45 cães e quatro gatos. O problema é que a crise também impactou nas doações de ração e medicamentos.

"Não temos resgatado mais animais, pois estamos com uma dívida enorme em aberto ainda. Fizemos um resgate de 16 cães e até agora não conseguimos doar todos eles, daí eles precisam ficar em um hotel. O abandono aumentou e as ajudas caíram demais", relatou a presidente da ONG, Marjorie Rodrigues. 



RESGATE PELA PREFEITURA

O ACidade ON procurou a Prefeitura de Campinas para saber se também houve um aumento na porcentagem de animais resgatados pelo DPBEA (Departamento de Proteção e Bem-Estar Animal), órgão ligado à Secretaria do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Esta, por sua vez, informou que não houve aumento nas entradas de animais.

Os dados repassados pela Administração Municipal apontam que, em 2019, o departamento resgatou 956 animais abandonados, entre cães e gatos. Em 2020, o número caiu para 529. Já esse ano, até o mês de fevereiro, foram contabilizados 95.

Segundo a Prefeitura, cerca de 80% das entradas ocorreram pelo Samu Animal, um serviço semelhante ao Samu humano, que atende animais de rua que precisam de atendimento médico veterinário, na maioria das vezes por causa de atropelamento.

CUIDADOS E ADOÇÃO

A Administração informou ainda que há uma parceria entre o poder público e a ONG GAVAA, que recebe alguns animais depois de tratados e os colocam para adoção. Já os animais que não são retirados pela ONG, ficam sob os cuidados da Prefeitura até a adoção.

A Prefeitura ressaltou ainda que os animais só são liberados para adoção depois que passam por tratamento médico, realizado pelo próprio departamento, incluindo cirurgias ortopédicas e de tecidos moles dos animais, além de exames como ultrassom, raio-x, ECG, sangue, urina, dentre outros.

O departamento oferece ainda tratamentos comportamentais aos animais, castração, vermifugação, dentre outros. "Campinas tem muitas ONGs de proteção animal, porém, apenas cinco fazem parte do Conselho de Defesa e Proteção, ou seja, que são regularizadas e têm estatuto. A mais antiga é a AAAC", destacou a Administração.

Os animais resgatados pela Prefeitura podem ser acompanhados no Portal Animal (https://portalanimal.campinas.sp.gov.br/). Nele, ficam as fotos e características de todos os animais disponíveis para adoção no DPBEA.

PUNIÇÃO

Questionada sobre as punições aplicadas a quem abandona animais, a Prefeitura de Campinas respondeu que o abandono se encaixa em maus-tratos e, a depender da gravidade da situação, a pessoa pode ser punida com advertência, multa e até apreensão do bicho.

A multa pode variar de 50 a 500 UFICs (até R$ 1,8 mil). Há também a penalização criminal, feita pela polícia, também no caso de maus-tratos aos animais.

Neste caso, a autoridade policial leva o infrator à delegacia, que abre inquérito, e apresenta ao Ministério Público, que apresenta denúncia ou não ao juiz de direito. Ou seja, a pessoa que cometer maus tratos aos animais pode ser multada e presa.

Mais notícias


Publicidade