Publicidade

cotidiano

Vigilância interdita 314 kg de carne em supermercado no Florence, em Campinas

Produto estava com prazo de validade vencido, sem rótulo de identificação e fora do padrão de qualidade para a venda; outro minimercado também foi interditado

| ACidadeON Campinas -

Carne interditada pela Vigilância de Campinas (Foto: Divulgação/PMC)
A Coordenadoria de Vigilância Sanitária de Campinas interditou 314 quilos de carne em um supermercado no Jardim Florence. O caso ocorreu na tarde desta quarta-feira (26) e foi divulgado hoje (27). Segundo a Secretaria de Saúde do município, o produto de origem animal estava com prazo de validade vencido, sem rótulo de identificação e fora do padrão de qualidade para a venda.

A fiscalização da Vigilância Sanitária chegou ao local por meio de denúncia no 156, telefone da Prefeitura para abertura de reclamações e também denúncias. Os técnicos lavraram um auto de interdição do alimento e colocaram a carne dentro de um saco plástico lacrado.

Com isso, o responsável pelo supermercado deverá manter agora o produto refrigerado, em local que não fique disponível para a venda e dar a destinação final em um prazo de até dez dias. A Vigilância também multou o estabelecimento e o valor será definido após os trâmites do processo administrativo.

O supermercado também foi autuado por falta de cumprimento dos protocolos sanitários, já que os funcionários não usavam máscaras de proteção facial. 

LEIA TAMBÉM 
Em Campinas, Doria assina liberação de R$ 18 milhões para a RMC  
Cachorro segue viatura após dona ser presa com drogas em Americana  
Vídeo flagra policiais agredindo homem em abordagem em Cosmópolis
 

Produtos estavam foram da validade (Foto: Divulgação/PMC)
MINIMERCADO

No mesmo bairro, a Vigilância determinou a interdição total e imediata de um minimercado por falta de condições sanitárias. Segundo a equipe que inspecionou o local, o estabelecimento tinha mal cheiro, não havia sabonete para os funcionários lavarem as mãos antes de manipular alimentos e sujeira nos corredores.

O minimercado recebeu um auto de infração e foi autuado. Para poder reabrir novamente, o dono do estabelecimento deverá readequar o local, obedecendo às normas sanitárias e solicitar uma nova vistoria da Vigilância. 


Mais notícias


Publicidade