Publicidade

cotidiano

Adolescente de 15 anos é encontrada em cárcere privado em Campinas

Jovem era mantida sem condições de vestimenta ou alimentação; suspeita é de que ela esteja grávida

| ACidadeON Campinas -

2ª DDM de Campinas (Foto: Denny Cesare/Código19) 

 *Esta matéria foi atualizada às 20h59 do dia 3 de agosto de 2021

Uma adolescente de 15 anos foi encontrada nesta terça-feira (3) em situação de cárcere privado em Campinas. Segundo a Polícia Militar, a jovem era mantida sem condições de vestimenta ou alimentação. Ela também não frequentava a escola há algum tempo.

Ela estaria sendo vítima desse crime há cerca de dois anos, e afirma ainda estar grávida. De acordo com informações da corporação, quem a mantinha nessa situação era um pintor de 44 anos que foi levado até a delegacia.

O homem seria o pai do bebê que a jovem diz estar grávida. O pai da adolescente, no entanto, nega a situação de cárcere privado (leia mais abaixo).

DENÚNCIA ANÔNIMA

Segundo a PM, equipes receberam hoje uma denúncia anônima de que a adolescente estava sendo mantida em cárcere privado.

Quando os policiais chegaram ao local, se depararam com a jovem na casa. Ao ser encontrada ela pediu por socorro, deixando claro que era mantida na residência contra a vontade dela.

A corporação informou que os pais da menina são bem humildes. Ainda não se sabe se eles tinham conhecimento das quais condições em que a adolescente estava vivendo. Em depoimento, a jovem contou ainda que estaria nesta situação desde os 13 anos. 

O PAI 

O pai da jovem disse que o casal morou na casa dele por um ano em Sumaré e que, depois, foi para a residência onde ela foi encontrada. Nesta casa, em Campinas, a adolescente teria o consentimento dele para morar com o pintor e que ela não estaria em situação de cárcere privado.   

O pai é viúvo e teria visto a jovem há 15 dias. Ele disse ainda que a menina "não gostava de estudar ou trabalhar" e que, por isso, foram morar nesta casa em Campinas. O pai afirmou também que não havia situação de maus-tratos.
 
Além disso, a dona da casa também afirmou que a adolescente podia sair para fazer alguns afazeres, como compras no mercado e ir ao Centro de Saúde. Apesar disso, o pintor não gostava que a menina saísse de casa sozinha. 

A ocorrência foi apresentada na 2ª DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), no Jardim Londres. Segundo a Polícia Civil, o homem foi ouvido e vai responder ao inquérito em liberdade. Uma medida protetiva foi registrada, e a menina voltou para a casa do pai.

Mais notícias


Publicidade