Publicidade

cotidiano

Câmara vota aumento de dedução na folha de pagamento de servidores

Projeto de Lei será votado nesta quarta-feira (8), após recesso do feriado de 7 de setembro, dia da Independência do Brasil

| ACidadeON Campinas -

Sessão acontece de forma presencial (Foto: Câmara Municipal)

A Câmara Municipal de Campinas realiza nesta quarta (8) a 11ª primeira Reunião Ordinária do ano, retomando os trabalhos do legislativo após o recesso do feriado de 7 de setembro, dia da Independência do Brasil.

Entre os itens da pauta do dia está a segunda votação do PL (Projeto de Lei) do prefeito Dario Saadi (Republicanos) que aumenta de 30% para 35% a soma dos descontos decorrentes das autorizações para dedução dos débitos com instituições financeiras do salário ou vencimento líquido do servidor. 

Na prática, o projeto aumenta o limite permitido para desconto na folha de pagamento de empréstimos consignado feitos por servidores.

A medida, segundo a Prefeitura, tem validade até o dia 31 de dezembro, e visa propiciar maiores recursos ao funcionalismo no enfrentamento das dificuldades decorrentes da pandemia causada pelo coronavírus.   

Segundo o vereador Luís Rossini (PV), líder de governo, a medida se adequa a uma lei federal, que aumentou o limite permitido de desconto durante o período da pandemia. 

"Existe uma lei municipal que limita a margem de desconto da folha de pagamento de servidores com obrigações com bancos, mas teve uma lei federal que aumenta essa margem. Então estamos fazendo essa adequação, que valerá até o final do ano", disse.  

"Temos servidores que precisam recorrer à bancos por questões financeiras. Nesse momento, isso vai ajudar servidores a superar dificuldades. Era um apelo de sindicatos para atender aqueles que precisam renegociar dívidas", explicou.

A reunião acontece presencialmente, com limite de 35% do público no Plenário. A TV Câmara Campinas transmite a reunião ao vivo a partir das 18h.

 


Mais notícias


Publicidade