cotidiano

Especial coronavirus

De Manaus, paciente com sintomas de covid chega em Campinas

Paciente de 78 anos desembarcou em Viracopos; capital do Amazonas vive colapso na saúde pública com aumento de casos e falta de oxigênio em hospitais

| ACidadeON Campinas -

 

Paciente desembarcou no Aeroporto Internacional de Viracopos (Foto: Luciano Claudino/Código19)

*Esta matéria foi atualizada às 17h55 do dia 15 de janeiro de 2021  

Uma mulher de 78 anos desembarcou na noite de quinta-feira (14) no aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, em um avião comercial vindo de Manaus, com sintomas de covid-19 para ser atendida na cidade. Isso ocorre após a capital do Amazonas viver um colapso no sistema de saúde por conta do aumento expressivo de casos de coronavírus e a falta de oxigênio nos hospitais (leia mais abaixo).

Assim que a mulher desembarcou em Campinas, o Samu foi acionado e a levou para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Campo Grande, onde ela recebeu um primeiro atendimento. Depois, a paciente foi encaminhada para internação em leito SUS de enfermaria contratado pela Prefeitura no hospital Beneficência Portuguesa. O estado de saúde da paciente é estável.

A Secretaria de Saúde de Campinas até o momento não tem problemas com o estoque de oxigênio, informou a Secretaria de Saúde. Sobre a possibilidade da paciente estar infectada com a nova cepa da covid, a pasta disse que ainda não tem a confirmação dessa informação.  

NO AEROPORTO 

Sobre a situação do voo, a companhia aérea Azul disse que a mulher antes de ser levada pelo Samu foi atendida no posto médico do aeroporto e, após o atendimento, foi realizada a desinfecção da aeronave.  

Sobre os passageiros que estiveram perto da mulher no voo, a Azul afirmou que o protocolo que será adotado deve ser verificado com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).  

A Agência, por sua vez, não falou do caso específico, mas informou que existe um protocolo padrão utilizado nos aeroportos que prevê uma maior vigilância dos casos suspeitos.  

Procurada, a concessionária Aeroportos Brasil Viracopos disse que a equipe médica do posto de saúde do terminal prestou todo o apoio utilizando os Epis necessários e o trajeto realizado até a ambulância foi imediatamente higienizado e esterilizado.

MANAUS


Ainda por conta da situação da falta de oxigênio em Manaus, os hospitais da rede pública tiveram uma nova madrugada nesta sexta-feira (15) com mortes de pacientes devido ao baixo estoque para atender os pacientes internados com Covid-19.

Além disso, 60 bebês prematuros, internados em UTIs neonatais, serão transferidos em aviões da FAB (Força Aérea Brasileira) para outros estados de maneira preventiva. Para conter a situação, a FAC também desembarcou em Manaus uma carga de 6.000 litros de oxigênio líquido da empresa White Martins, fornecedora do governo estadual.

(Com informações da Folhapress)

Mais notícias


Publicidade