Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Ministério da Saúde lança edital para vagas no Mais Médicos

O programa acomoda 87 médicos da iniciativa em Campinas. Destes, 46 são cubanos

| ACidadeON Campinas

O impacto afeta mais da metade dos 87 médicos do programa em Campinas (Foto: Ismael Francisco / Cubadebate) 

O novo edital do Programa Mais Médicos será publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira (20). O anúncio foi feito nesta segunda-feira pelo ministro Saúde, Gilberto Occhi. Serão ofertadas 8.517 vagas para atuação em 2.824 municípios e 34 DSEI (Distritos Sanitários Especiais Indígenas), que antes eram ocupadas por médicos da cooperação com Cuba.  
 
LEIA MAIS
Sem cubanos, Campinas perde 52% do Mais Médicos


O edital é a medida emergencial adotada pelo governo brasileiro para garantir a assistência em locais que contam com profissionais de Cuba, após o comunicado da Organização Pan-Americana da Saúde no qual o governo cubano informa que encerrou a cooperação no programa Mais Médicos.

O impacto afeta mais da metade dos 87 médicos do programa em Campinas. A decisão representa uma queda de 52%, mais da metade dos médicos alocados pelo projeto. O programa acomoda 87 médicos da iniciativa na cidade. Destes, 46 são cubanos.

As inscrições começam a partir das 8h desta quarta-feira e seguem até o dia 25 deste mês para os médicos brasileiros com CRM Brasil ou com diploma revalidado no país. Os profissionais podem se inscrever por meio do site maismedicos.gov.br. O início das atividades está previsto para 3 de dezembro.

"A nossa preocupação foi diminuir os prazos da inscrição até a chegada do médico no município. Essa foi uma medida imediata, melhor forma, mais rápida e mais eficaz de não deixar faltar assistência médica em áreas com médico da cooperação", ressaltou o ministro da Saúde, Gilberto Occhi.

A decisão surge depois do presidente eleito Jair Bolsonaro questionar pelo Twitter a qualificação dos médicos cubanos. Ele também menciona um projeto para modificar o acordo vigente entre Brasil e Cuba, exigindo uma revalidação dos diplomas internacionais e contratação individual de cada médico.

Veja também