Publicidade

cotidiano

Grupo faz ato pedindo construção de passagem de fauna na Zeferino Vaz

Moradores pediram construção de passagem para animais no km 118 da rodovia, entre Campinas e Paulínia

| ACidadeON Campinas -

Protesto ocorreu na manhã deste domingo (Foto: Divulgação) 

Um grupo de moradores se reuniu na manhã deste domingo (4) em um ato pedindo a construção de uma passagem de fauna na Rodovia Zeferino Vaz (SP-332), no km 118, entre as cidades de Paulínia e Campinas. A passagem de fauna é uma "ponte verde" construída para facilitar a travessia de animais e evitar atropelamentos na pista.

De acordo com o grupo, os animais vêm da Mata Santa Genebra e seriam cerca de 33 atropelamentos mensais. Eles afirmaram ainda que a concessionária responsável pela via, Rota das Bandeiras, é cobrada desde 2019 para a construção desse corredor ecológico.

Sobre o caso, a Rota das Bandeiras afirmou que existe um cronograma para a implantação de uma passagem de fauna na região de Campinas, mas sem prazo definido por conta do processo de licenciamento ambiental (leia mais abaixo).

Além disso, a empresa afirmou que o número de 33 atropelamentos mensais é incorreto. Segundo os registros, existe uma média mensal de três ocorrências envolvendo animais silvestres no trecho entre os km 114 e 148 da Prof. Zeferino Vaz (SP-332), de Campinas a Cosmópolis. Foram 16 ocorrências entre janeiro e maio de 2020 e 17 em igual período deste ano.  


A ROTA

Procurada, a Rota informou que, de fato, a implantação de uma passagem de fauna na região está prevista no cronograma e faz parte da obra de implantação de vias marginais na rodovia, com início previsto para 2022, condicionada à emissão da Licença de Instalação pela Cetesb.


O projeto que contempla a passagem subterrânea e direcionamento dos animais atende a uma resolução da Fundação José Pedro de Oliveira ARIE Mata de Santa Genebra e da Secretaria do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Campinas, está em fase final de estudos e será submetido à secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo.

O prazo previsto para execução desta obra é de 24 meses. Sobre as reclamações, a concessionária recebeu, via Ouvidoria, uma solicitação sobre o tema no mês passado. "Em nenhum momento houve a promessa em relação a prazos, considerando que o início da obra está condicionado à conclusão do processo de licenciamento ambiental", disse a empresa em nota. 


Mais notícias


Publicidade