cotidiano

Especial coronavirus

Retomada: restaurantes de Campinas têm aumento de 10% em ticket médio

Demanda aumentou após flexibilizações do Plano São Paulo; alta é a primeira registrada na pandemia

| ACidadeON Campinas -

Aumento no setor de restaurantes é o primeiro sentido durante pandemia (Foto: Denny Cesare/Código19) 

Restaurantes de Campinas registraram aumento de 10% no ticket médio gasto pelos clientes nas últimas semanas, após flexibilizações do Plano São Paulo de quarentena da covid-19. O valor é o gasto, em média, pelos clientes enquanto estão nos estabelecimentos comerciais.

Segundo a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) de Campinas, este é o primeiro aumento no setor desde o início da pandemia, em março de 2020.

"O levantamento mostra que o consumidor quando vem no atendimento presencial, acaba gastando mais. Eventualmente pede um drinque, um café. Isso aumenta o faturamento, aumenta o ticket médio e faz com que o setor tenha uma força mais abundante para crescer e voltar a faturar como antes", disse o presidente da Associação, Matheus Mason.

Em um restaurante de Campinas, o movimento de clientes aumentou nas últimas semanas. "Melhorou bastante, principalmente final de semana. Melhorou cerca de 50%. A gente estava com bastante saudade, é emocionante", disse o cozinheiro Renato Botelho.

Em outro restaurante que fica em um hotel da cidade, o faturamento aumentou por conta da flexibilização. "Com o aumento da capacidade de ocupação, tivemos melhora nos dias de pico, como sexta-feira à noite no jantar. Tivemos um aumento de 20% no faturamento. É muito bom", disse o empresário Rodrigo Porto.

O levantamento apontou ainda que esse aumento de 10% no ticket médio também foi sentido nos pedidos que são feitos por delivery.

Atualmente, o estado de São Paulo está na fase de transição, sendo que a última atualização ocorreu no dia 28 de julho, com regras mais flexíveis do dia 1º de agosto até o dia 17.  

Nessa atualização o limite de horário de funcionamento de comércios, serviços em geral e espaços religiosos passou de 23h para 0h. A capacidade máxima de ocupação permitida nos estabelecimentos, que estava em 60%, foi para 80%. (Com informações da EPTV Campinas)






Mais notícias


Publicidade