Publicidade

noticias

Partida de futsal é encerrada em Indaiatuba após denúncia de racismo

Técnico do time de São Carlos acusa voluntária de Indaiatuba de proferir dizeres racistas

| ACidadeON Campinas -

O técnico Jeferson Teixeira, do São Carlos, reclama com arbitragem ter sofrido racismo. Foto: Reprodução/Donas da Bola/Globo Esporte

A partida de futsal feminino, disputada dentre as equipes de Indaiatuba e São Carlos foi encerrada na noite de ontem (2) após uma denúncia de racismo. As atletas de São Carlos abandonaram a quadra em apoio ao técnico Jeferson Teixeira, que relatou ter sofrido racismo de uma funcionária durante o jogo. Em nota, a equipe de Indaiatuba negou a ofensa. 

A partida acontecia no Complexo Esportivo Morada do Sol, em Indaiatuba e era válida Liga Paulista. Segundo o técnico, a ofensa veio de uma das voluntárias que fazia a limpeza da quadra. De acordo com o relato, ele foi expulso por reclamação, e enquanto deixava a quadra e a funcionária responsável pela secagem do piso teria praticado ofensas racistas com os dizeres: "se f* seu negro".

O técnico relatou o acontecido ao árbitro, que pediu para que fosse registrado na súmula. Em seguida, a equipe decidiu abandonar o jogo e se retirou da quadra.

"Estava saindo e essa menina me ofendeu e falou um monte de baboseira. Recolhi minha equipe porque ao fazia sentido competir com uma equipe que tenha essa ideologia", disse. 

De acordo com a assessoria de imprensa da ASF/Unicep São Carlos, a comissão técnica acionou a Polícia Militar no local, mas a funcionária não foi encontrada. Em entrevista ao ACidade ON São Carlos, a vítima também relatou que o técnico da equipe adversária omitiu a informação de quem era a funcionária para a PM. 

O registro da ocorrência foi feito pelo técnico na tarde deste sábado (3), no Plantão Policial. Segundo Jeferson Teixeira, serão tomadas as medidas judiciais cabíveis por parte do time. 

POSICIONAMENTO EXCLUÍDO

No início da manhã, após a equipe são-carlense emitir nota de repúdio nas redes sociais, a equipe da Indaiatuba também emitiu uma nota para "esclarecer os fatos ocorridos". 

No comunicado, o time alegou que a funcionária em questão não é uma atleta do time, "mas sim uma assídua voluntária do futsal", e que "por um ato impulsivo comemorou o último gol da partida, que ocorreu enquanto ele se retirava". "N.F. nega que tenha praticado qualquer ato análogo ao racismo e que apenas disse a seguinte frase: Boa Bia", escreveu o time.

No entanto, às 15h56 a publicação nas redes sociais havia sido excluída do perfil do time. Nada mais sobre o ocorrido foi publicado desde então.  

SECRETARIA MUNICIPAL

Procurada, a secretaria municipal de Esportes de Indaiatuba confirmou que recebeu a informação sobre um possível ato de racismo e reafirmou que é "totalmente é totalmente contra qualquer ato racista e de desrespeito em qualquer uma de suas formas". Segundo a pasta, a secretaria ainda que aguarda a súmula da partida para embasar uma apuração e providências cabíveis.

Mais notícias


Publicidade