cotidiano

Campinas registra 14,7 mil agendamentos para dose de reforço

Com isso, 22,3 mil vagas seguem disponíveis; veja como agendar a aplicação

| ACidadeON Campinas -

(Foto: Eduardo Lopes/PMC)
 

Campinas registrou até as 17h desta quinta-feira (18) 14.711 moradores com idade acima de 18 anos que agendaram a aplicação da dose adicional  da vacina contra a covid-19 na cidade.

Segundo a secretaria municipal de Saúde, foram disponibilizadas 37.024 vagas. Com isso, 22.313 horários seguem disponíveis e o agendamento continua aberto. A marcação de dia, horário e local deve ser feito no site vacina.campinas.sp.gov.br. Vale lembrar que podem tomar a dose adicional ou a 3ª dose do imunizante pessoas que foram vacinadas há pelo menos cinco meses. 

O balanço foi divulgado um dia após a abertura do agendamento, nesta quarta (17). A pasta prevê que até o final de dezembro 50 mil pessoas possam receber a dose adicional.

Até então, o agendamento da vacinação estava aberto para a segunda dose e a dose adicional para pessoas acima de 60 anos, com alto grau de imunossupressão, com 18 anos ou mais, além de profissionais da saúde.

A dose adicional também começou a ser aplicada no estado de São Paulo. Segundo o governo paulista, 710 mil pessoas estão aptas a receber a vacina complementar.

"Neste momento, podem se vacinar quem tomou a segunda dose entre janeiro e junho, pois já estão com intervalo de cinco meses. Assim, em dezembro, quem tomou a segunda dose em julho já poderá receber a dose adicional", disse a coordenadora do Programa Estadual de Imunização do estado de São Paulo, Regiane de Paula.

De acordo com último boletim vacinal em Campinas, divulgado na terça (16), já foram aplicadas 1.913.476 doses de vacina contra a covid-19, sendo 955.617 de primeira dose, 860.309 de segunda dose e dose única. Também já foram aplicadas 97.550 doses adicionais.

QUEM PODE?

A dose adicional poderá ser aplicada na população que já tenha recebido a segunda dose há pelo menos cinco meses.

No estado, o imunizante para a dose de reforço será aquele que estiver disponível no posto de saúde: Pfizer, CoronaVac ou AstraZeneca, independentemente de qual vacina a pessoa tenha recebido como primeira ou segunda dose, com exceção de quem tomou a vacina da Janssen.

"Quem tomou a dose única da vacina da Janssen deverá tomar uma segunda dose após oito semanas e, após cinco meses de completar o ciclo vacinal, já poderá receber a dose de reforço. O estado de São Paulo, porém, não conta com estoque deste imunizante e aguarda o envio de doses do Ministério da Saúde para definir a adesão às novas diretrizes com relação a esta vacina", destacou o governo, em nota.

Mais notícias


Publicidade