Aguarde...

ACidadeON Campinas

docon

Jonas diz que oposição na Câmara "passa vergonha"

Prefeito diz que parlamentares hoje contrários à Administração eram "bajuladores" quando atuavam como comissionados do governo

| Especial para ACidade ON

O prefeito Jonas Donizette (PSB) (Foto: Divulgação) 

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), afirmou em entrevista à coluna que a oposição ao seu governo "passa vergonha" na Câmara. O prefeito fez a afirmação ao comentar as críticas de parlamentares contra seu projeto que vai criar 600 cargos em regime de urgência, e com duração de um ano.

A intenção de Jonas é fazer as contratações para a Rede Mário Gatti, mas os vereadores criticaram o fato do projeto não especificar o destino dos cargos em seu texto. O governo diz que isso aconteceu porque a proposta já foi julgada como inconstitucional e que um substitutivo precisou ser elaborado, sem a especificação.

"Eu falo que a oposição é importante quando age com seriedade. Mas quando ela quer ser contra por ser contra ela passa vergonha", afirmou Jonas.

O projeto foi aprovado na última segunda-feira (2). Segundo ele, um decreto posterior vai direcionar os cargos para rede de saúde. "A oposição levantou essa bandeira porque não tem o que falar. A verdade é que eles votaram contra a melhora da saúde em Campinas, e espero que sejam cobrados por isso", disse Jonas.

BAJULADORES

O prefeito também afirmou que "tem dois vereadores da oposição" que eram seus comissionados e que "beiravam a bajulação" quando trabalhavam para o governo. "E de repente por oportunismo começaram a fazer oposição. Então não dá pra levar a sério pessoas que têm essa figura", disse.

Embora não tenha citado nomes, Jonas está se referindo a Nelson Hossri (Podemos) e Marcelo Silva (PSD). Hossri assumiu o cargo de coordenador setorial na Secretaria Municipal de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública em setembro de 2011 (antes de Jonas assumir) e foi exonerado pelo atual prefeito em julho de 2016

Já Silva foi nomeado em abril de 2013, por Jonas, como assessor técnico superior na Secretaria Municipal de Esportes e exonerado em abril de 2016 já na Secretaria de Segurança Pública, para onde foi transferido ainda em 2013.

Atualmente, Hossri e Silva são dois dos parlamentares que fazem oposição mais ferrenha contra Jonas na Câmara.

NO CENTRO

Jonas disse ainda que em Campinas a oposição é "complicada" porque reúne partidos de esquerda (PT, PCdoB, Psol) e de direita (PSD, Podemos). "É a turma do Bolsonaro e a turma do PT fazendo oposição. Fico feliz porque isso transfigura o que eu sempre fui na minha vida política, uma pessoa equilibrada que tenta resolver os problemas da cidade."

Mais do ACidade ON