Publicidade

cotidiano

Unicamp descobre antibiótico eficaz para combate a obesidade

Farmaco bactericida muda o tipo de gordura, auxiliando no emagrecimento

| ACidadeON Campinas -

Estudo descobriu medicamento que pode auxiliar no combate a obesidade (Foto: Pixabay)

Pesquisadores da Unicamp (Universidade de Campinas) descobriram em um antibiótico já usado, uma esperança para o combate à obesidade, doença que afeta grande parte da população.

O estudo descobriu que a Enoxacina, utilizada para tratamento de infecções bacterianas pode alterar a tipologia de gordura, e auxiliar a aumentar o metabolismo e promover o emagrecimento.

A descoberta foi feita por pesquisadores do Centro de Pesquisa de Obesidade e Comorbidades da Unicamp, em parceria com o laboratório Aztrazeneca. O estudo, feito com camundongos, chegou a ser capa da revista cientifica americana Science Advances.

Um dos pesquisadores responsáveis pelo estudo, Marcelo Mori, explica que o antibiótico ajudou na mudança de gordura corporal, transformando gorduras marrons as que favorecem a perda de peso, as gorduras brancas.

"Ao invés de acumular, transformar o açúcar em gordura, que é o que o tecido adiposo branco faz, o tecido marrom, que é estimulado pela Enoxacina, transforma essa glicose em 'tijolinhos' menores na célula, e usa essas moléculas pra dissipar energia e produzir calor", explicou Mori, que explicou como funciona a atuação do fármaco.

"Esse antibiótico, a Enoxacina, além de servir como bactericida. também atua em uma enzina muito importante nas nossas células adiposas, nossas gorduras, que é a enzima dicer" explicou. Segundo ele, a enzima funciona como uma balança, controlando o estoque de gordura do corpo.

PROMESSA DE AJUDA

Atualmente, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) 60% dos brasileiros estão no grupo de obesos ou pessoas com excesso de peso.

Segundo o endocrinologista Bruno Gelonese, a doença pode desencadear diversos problemas de saúde.

"Quando uma pessoa tem excesso de peso, em especial quando tem excesso de peso no abdômen, tem mais chance de ter diabete, apneia de sono, dificuldade para respiração, gordura no fígado, problemas cardiovasculares e até mais chances de desenvolver tumores", afirmou.

A influenciadora digital Angele Bertat, é uma das tantas pessoas que convive com a obesidade e enfrenta uma luta conta a balança. Ela conta que já tentou diversos medicamentos, mas todos tiveram o efeito apenas temporário.
"Eu perdia peso muito rápido, só que assim que parava voltava tudo. E eu sei que preciso emagrecer, por causa da minha saúde pra poder viver mais", declarou.

Segundo o pesquisador da Unicamp, para que a descoberta possa ser usada pela população, agora é necessário a finalização da pesquisa.

"A gente mais pra frente gostaria de desenvolver um ensaio clinico, onde utilizaria essas moléculas sem o efeito antibiótico sobre humanos para ver se o efeito acontece e poderia ser usado para o tratamento das obesidades e de suas complicações", disse.

Mais notícias


Publicidade